Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Modelo da Playboy afirma ter sido obrigada a cobrir os seios em voo

"É realmente decepcionante quando você é discriminado devido a sua roupa", afirmou.

Compartilhe

Uma modelo da Playboy diz ter se sentido "humilhada" após ser forçada a cobrir o corpo para pegar um voo, na quinta-feira (29), nos Estados Unidos. Eve J Marie viajava com o filho de 7 anos, pela companhia aérea Southwest Airlines, e conta que teve de cobrir os seios com um suéter emprestado por uma comissária de bordo, para não ser expulsa do avião. As informações são do UOL.

A modelo e influenciadora detalhou o acontecido em um vídeo compartilhado nas redes sociais, dizendo que ela estava particularmente chateada por ser uma passageira frequente que gasta US$ 90 mil (cerca de R$ 516 mil) por ano com a companhia aérea.

"Acabei de pousar e estou muito irritada. Estou tentando não deixar isso estragar meu dia", explicou a modelo, que revelou ter se indignado mais ainda pelo caso ter acontecido no segundo voo que ela pegava no mesmo dia com a companhia aérea. "É realmente decepcionante quando você é discriminado devido a sua roupa", completou.

Eve é uma "cliente fiel" da Southwest Airlines, tanto que tem um passe que permite um acompanhantes gratuito nos voos que ela pega. A modelo disse ao jornal inglês The Sun que se sentiu "como se as outras mulheres no avião estivessem me julgando com base no meu traje e dizendo que meus seios são muito grandes". Ela vestia um top com estampa de leopardo - combinando com sua máscara - e teve que cobrir os seios com um suéter emprestado por uma comissária de bordo, que "se desculpava" pelas normas de vestimenta da empresa.

Após o pouso, Eve diz que entrou em contato com a sede da Southwest, que se desculpou pelo caso e ofereceu um crédito de US$ 100 na companhia como compensação pela ocorrência. A modelo negou a proposta e afirmou que não era o "suficiente para a humilhação e a discriminação" que sofreu. Eve disse que deseja um pedido de desculpas público, que os responsáveis sejam responsabilizados, um melhor treinamento de diversificação e uma política de código de vestimenta claro e justo que seja aplicado em todos os voos da companhia.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar