Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas completa 20 anos

"A gente não vai discutir com Deus", disse Célia, mãe de Dinho.

Morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas completa 20 anos
Morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas completa 20 anos | Reprodução
Compartilhe

Nesta quarta-feira, dia 02 de março, faz exatos 20 anos da morte do grupo Mamonas Assassinas, considerado um dos maiores nomes da música brasileira nos anos 90. Com músicas escrachadas e cômicas como 'Pelados em Santos', 'Vira-Vira' e 'Robocop Gay', a banda composta por Dinho, Bento, Júlio, Sérgio e Samuel,. alcançou rapidamente o sucesso. 

Os familiares, assim como milhares de fãs, aprenderam a lidar com a ausência dos artistas que continuam vivos na memória de todos. Célia Alves, de 62 anos, mãe de Dinho, se emocionou ao relembrar a morte dele e dos colegas que, para ela, também eram como filhos. “Eles vieram trazer alegria, e a gente teve que aprender a conviver com isso. Separar a tristeza da alegria, que não é fácil”, disse, bastante abalada.

"O mesmo Deus que permitiu a eles fazerem aquele sucesso todo olhou para eles e disse: ‘Meninos, vocês são bons, só que chegou o tempo. Olha, venham todos vocês. E levou. A gente não vai discutir com Deus. Deus é Deus e a gente é ser humano”, acrescentou ao relembrar os difíceis momentos de espera naquela noite de 1996.

Ao lado do marido, Hidelbrando Alves, e da namorada do filho, Valéria Zopello, ela relata o momento de espera no Aeroporto de Cumbica, no dia do acidente. “Pensei: ‘Poxa vida, esse avião vai descer com esse tempo?’, disse. Falei: ‘Ah, vou tirar esse pensamento da cabeça. Isso não é bom’. Pedia a Deus que ele chegasse bem.”

Preocupada, pediu informações e  viveu ali o momento mais difícil de sua vida: a perda do filho. Ela conta que um funcionário veio com a informação mais temida. “Disse: ‘Perdemos o avião’. Eu respondi: ‘Como? Se perde uma agulha, um avião não’”, disse Célia.

Naquele dia e na semana seguinte, milhões de fãs choraram o fim da banda, que havia estourado em 1995 e vendeu, em nove meses apenas, mais de 1,2 milhão de discos

Célia Alves, de 62 anos, mãe de Dinho
Célia Alves, de 62 anos, mãe de Dinho






Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar