Suposta filha de Marcos Paulo, quebra o silêncio: ‘Tenho direitos’

O primeiro exame foi de irmandade e deu negativo.

A uma semana de saber sua verdadeira história, Michelle dos Santos, que luta para ser reconhecida como filha de Marcos Paulo, quebrou o silêncio e falou com exclusividade ao jornal Extra. “Estou muito tranquila e com a certeza de que nada disso foi em vão. Eu só quero o direito de saber quem eu sou. Tenho direito à verdade”, diz a professora, de 42 anos.

Michelle vai passar por mais um exame. O primeiro foi de irmandade e deu negativo. Dessa vez, todas as filhas do diretor, além dos meio-irmãos e mães delas estarão na presença de um juiz para terem o sangue colhido. A comparação do DNA será feita através de amostras genéticas de Marcos Paulo, que ficaram guardadas num laboratório durante cinco anos.

Para Michelle, tudo parece enredo de novela. Ainda criança, ela soube de quem era filha. A mãe, Conceição dos Santos, e Marcos Paulo tiveram um caso. Michelle foi criada pelos avós e se lembra que escrevia cartas para o pai famoso. “Minha avó incentivava para que eu não me sentisse rejeitada. Mas, quando ela morreu, descobri que as cartas nunca foram enviadas”, conta. Michelle, então com 15 anos, desistiu de procurar o pai. “Se eu fosse oportunista como falam, teria aparecido naquela época. Eu queria ser Paquita. Podia ter ido atrás disso”, avalia: “Eu sonhei várias vezes com um encontro entre pai e filha, eu o via na TV e procurava semelhanças entre a gente. Chorei muitas vezes trancada no banheiro”, enumera Michelle, que já é uma das participantes do processo de partilha de bens de Marcos Paulo: “Nunca quis que esse caso fosse para a mídia. Não estou atrás de dinheiro. Isso é apenas uma consequência das leis deste país”.

Esbarrão com o ator

Aos 16 anos, já ciente de sua história contada e recontada pela família, Michelle dos Santos chegou bem perto de Marcos Paulo. “Foi durante uma gravação em Itaboraí, eu era adolescente. O vi e em algum momento ele esbarrou em mim e me pediu desculpa. Não tive coragem de dizer nada, apenas disse ‘tudo bem’”, recorda.

Aos 29 anos, já mãe de uma filha, até então a que seria a primeira neta do ator, um novo encontro. “Estava em Arraial do Cabo, onde a Flávia Alessandra tinha casa, eu com minha filha e uma prima. Ela me cutucou e disse: ‘olha quem está ali’. Quando me virei, vi o Marcos, a Flávia e a Giulia. Senti um negócio e percebi que precisava correr atrás da minha verdade”, justifica Michelle.

Quando bebê, Michele ficou bem próxima de Marcos. A mãe dela teria encontrado o ator por acaso. “Ela diz que ele olhou para mim e disse: ‘É minha filha, não é?’. Minha mãe desconversou e ele só pediu para que não fosse divulgado porque ele estava no início da carreira dele”, diz Michelle.


O encontro que nunca aconteceu

Michelle estava na casa de uma prima quando soube da morte do ator, em novembro de 2012. “Fiquei em choque. Um filme passou pela minha cabeça”, relembra: “Eu pensava que quando ele ficasse mais velho e não fosse tão mais conhecido, ele iria me aceitar. Eu poderia cuidar dele e resgatar uma relação que não tivemos”.

A professora chegou a ter contato com o suposto pai através de emails. “Em 2004, pedi para relizarmos o teste de DNA. Ele me fez uma série de perguntas através da secretária dele, Mariangela, e confirmou algumas histórias que eu contei a ele. Depois disso, ele pediu um tempo para fazer o exame, mas nunca marcou e eu achei que não fazia mais sentido mexer nessa história já que ele não se manifestou. Esperei alguns anos, e retomei o pedido através de um advogado”, explica.

Herança e família

Michelle dos Santos diz que nunca teve contato com nenhuma de suas supostas três irmãs. “Elas nunca me procuraram e entendo o motivo delas. Alguém aparece e diz que é filha do seu pai... Qualquer um poderia reagir da mesma forma”, avalia.

De qualquer modo, Michelle consta no processo de partilha de bens do diretor. “A única coisa que me deixa chateada é que ninguém me conhece para me apontar como oportunista. Se me conhecessem, iriam ver que não procurei o Marcos por dinheiro. Minha família tem uma boa situação. Se eu tiver direito a algo vai ser porque a lei permite isso. nada além”, justifica: “Estarei com todas as filhas dele, se quiserem falar comigo, falarei de coração aberto. me conhecer faz toda a diferença”.

Fonte: Com informações do Extra