Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

15 anos depois, Abel volta ao Flamengo animado: “Venho com fome\"

Treinador destaca média de público do Rubro-Negro.

15 anos depois, Abel volta ao Flamengo animado: “Venho com fome"
abel | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

A cabeça está praticamente toda branca, bem diferente do cabelo predominantemente castanho exibido em sua primeira apresentação como técnico do Flamengo, em 16 de dezembro de 2003. Títulos ele já tem todos possíveis desde estaduais ao Mundial de Clubes. Mas Abel Carlos da Silva Braga, hoje aos 66 anos, mantém a animação do início da carreira de treinador.

Se há 15 anos disse que estava pronto "para a guerra e até para bala de canhão", a segunda passagem de Abel pela Gávea se inicia com entusiasmo. Com fome.

"Algumas coisas relevantes. Uma é estar aqui. Tem um papel na minha mão aqui... Maior média de público. Isso diz muita coisa, o que é esse clube. Peso e responsabilidade. Isso é desafio, e eu adoro. Venho com fome. Isso aí. Para mim, é extremamente importante poder dar algo a mais ao Flamengo". 

Em 2004, Abel comandou a equipe em 44 jogos (19 vitórias, 12 empates e 13 derrotas) e deixou o clube no meio do Brasileirão, com a conquista do Campeonato Carioca no currículo. Naquele ano, também foi o treinador no vice-campeonato da Copa do Brasil, quando o Flamengo perdeu a final para o Santo André.

 (Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)
(Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)

Confira outras declarações do treinador:

Abel evita dar pistas sobre Dedé

Não vão conseguir me pegar. Mas é um jogador que considero mito, dispensa comentário. Se fizer uma enquete, vai chegar a 100% de sim entre os técnicos. Unanimidade nacional. Flamengo está tentando porque pensa grande.

Busca por reforços

O Marcos Braz viajou não foi a passeio. Foi conversar com alguém... Não se parou de trabalhar nenhum dia. Seis, sete, oito vezes no telefone. Queira ou não, tudo é muito difícil com Flamengo. Tudo triplica, é preciso jogo de cintura. É preciso negociar.

Necessidade de identidade

Acreditamos que precisamos ter um pouco mais de identidade. Isso vi de fora. O torcedor está vendo. Não é normal um clube botar 60 mil pessoas naquela última rodada. Mentalidade de clube europeu.

Diferenças entre o Abel de 2004 para o de 2019

Abel de 2004 tinha nove títulos. Quem passou no Flamengo, muda tudo. Tínhamos três jogadores diferenciados, o Felipe, Julio Cesar e Zinho. Não levamos o título.hahaha De lá para cá ganhei 14.

 (Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)
(Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo)



Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×