Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Após pedradas, ônibus do Palmeiras fará trajeto diferente para jogo

Na última partida em casa, veículo da equipe foi alvo de emboscada próximo à arena.

Compartilhe

O Palmeiras voltará à sua arena neste domingo pela primeira vez desde o apedrejamento do ônibus que levava a delegação ao estádio para enfrentar o Junior Barranquilla, há pouco mais de duas semanas, pela Copa Libertadores.

Às vésperas do duelo em casa contra o Fortaleza e dois dias depois de o técnico Luiz Felipe Scolari reagir a xingamentos de torcedores em Arequipa, ao final da goleada sobre o Melgar, a diretoria trata como superado o episódio da emboscada ao ônibus em São Paulo.

Mesmo assim, uma medida de segurança será tomada para o duelo deste domingo, às 19h, pela abertura do Brasileirão. O trajeto feito na ocasião em que torcedores arremessaram pedras ao ônibus, na avenida Francisco Matarazzo, não será repetido.

Veja também

ver mais de "Palmeiras"

O policiamento, segundo apurou a reportagem, sempre tem três alternativas de caminho na saída da Academia de Futebol.

Crédito: Marcos Ribolli

Na ocasião do ataque, além de marcas de pedras e garrafas na lataria, vidros do veículo acabaram estilhaçados. Duas pessoas foram detidas e encaminhadas ao 91º DP, onde assinaram termo circunstanciado. A ocorrência foi encaminhada ao Juizado Especial Criminal.

No dia seguinte ao ocorrido, a Mancha Verde, principal torcida organizada ligada ao Palmeiras, divulgou nota de repúdio e negou a autoria das agressões. No clube, há suspeitas de que o ato tenha partido de uma ala dissidente da atual diretoria da organizada.

Já em Arequipa, Felipão saiu em defesa dos jogadores que, mesmo após a goleada sobre o Melgar, estavam sendo xingados durante um trabalho físico com bola em campo. Ele respondeu com gestos e palavrões à arquibancada e, em entrevista coletiva, classificou o pequeno grupo de torcedores envolvido como um “bando de palhaços”.

Crédito: Tossiro Neto

Na mesma entrevista, sem citar nenhuma organizada, o treinador também pediu que os responsáveis assumissem a atitude posteriormente, dando a entender que os dois episódios pudessem estar relacionados.

Segundo o Palmeiras, porém, não há ligação alguma entre a cobrança na cidade peruana e o apedrejamento em São Paulo. O clube diz ter identificado ao menos um dos torcedores que xingavam os atletas. Teria sido alguém que viajou com um grupo de torcedores comuns.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar