Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Assédio moral e injúrias raciais são denunciados no TJD

Federação Paulista de Ginástica leva relatos de abusos ao Tribunal de Justiça Desportiva para análise das medidas cabíveis

Assédio moral e injúrias raciais são denunciados no TJD
Ginástica do clube Pinheiros tem relatos de abusos | Ricardo Bufolin/ECP
Compartilhe

A Federação Paulista de Ginástica (FPG) levou o caso do Pinheiros ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da entidade. Após reportagem do Esporte Espetacular no último domingo, os relatos de assédio moral e injúrias raciais identificados pelo Pinheiros dentro da sua equipe de ginástica devem ser investigados pelo TJD para análise das medidas cabíveis. Informações do site GloboEsportes.com

Ginástica do clube Pinheiros tem relatos de abusos

Cinco treinadores (Hilton Dichelli, Cristiano Albino, Lourenço Ritli e ainda, em proporções menores, mas ainda mencionados: Felipe Polato e Danilo Bornea) são citados no relatório da auditoria interna do Pinheiros. Três deles - Dichelli, Albino e Bornea - já serviram ou servem as seleções brasileiras adultas.

As ocorrências relatadas se deram no período de 2013 até 2019. Ao todo, 16 atletas foram ouvidos. O documento do Esporte Clube Pinheiros (ECP) traz os relatos de abuso moral sofrido pelos ginastas, sem citar os nomes para manter o anonimato.

A auditoria também identificou assédio moral relativos à atleta Jackelyne Silva, que foi ginasta do Pinheiros. Ela morreu em janeiro de 2019 aos 17 anos vítima de uma infecção pulmonar. E a Angelo Assumpção, que defendeu o clube por 16 anos e foi demitido em novembro passado.

A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) afirmou ao ge nesta segunda-feira que pediu esclarecimentos, por meio de ofício, ao Pinheiros sobre relatos de assédio moral e racismo feitos por atletas do clube da capital paulista. As medidas podem variar conforme a análise, com instauração de inquérito pela CBG ou encaminhando ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

A reportagem do ge também procurou o Comitê Olímpico do Brasil (COB) sobre as revelações do Esporte Espetacular, mas ainda não obteve resposta.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar