Atleta sueca revela na web que foi estuprada por colega de seleção

Ela não revelou o nome do companheiro que teria cometido o crime

A atleta Moa Hjelmer, 27 anos, da Suécia, que foi campeã europeia dos 400m em 2012, denunciou nesta quinta-feira (23) que foi vítima de estupro e acusou o colega da seleção de atletismo da Suécia, em 2011.

A revelação foi feita na consta da sueca no Instagram onde ela usou a hashtag #metoo, que tem encorajado mulheres a denunciarem seus agressores nas últimas semanas.

A atleta revelou que o estupro aconteceu após uma vitória de sua seleção sobre a Finlândia. Ela não revelou o nome do atleta que a teria estuprado, mas disse que ele teria aproveitado a embriaguez dela para cometer o crime.

 Moa Hjelmer, atleta da seleção sueca de atletismo
Moa Hjelmer, atleta da seleção sueca de atletismo


"Todos estavam felizes, com o humor nas alturas, e celebramos com um banquete e depois na boate. Bebi um pouco de álcool, e um colega se ofereceu para ir comigo de volta para o hotel. Nós terminamos em seu quarto, ele disse para eu sentar ao seu lado na cama. Eu disse que ia para a minha. Ele afirmou que eu podia dormir ali com ele. Ele era significantemente mais velho do que eu e casado, eu me senti confiante e achei que podia confiar nele", publicou Hjelmer.

"Eu tinha namorado, então disse não. Ele me toca e insiste. Não digo mais nada. Ele tira minhas roupas. Eu congelo, não consigo me mover. Não digo mais nada. Ele me viola. Quando acabou, levantei minhas coisas e fui embora. Estava com vergonha. O que fiz de errado? Eu sempre fui forte e confiante e sabia que não era culpa minha, apesar de ter demorado seis anos antes de eu me atrever a contar", acrescentou a atleta.

A atleta não chega a revelar em seu post se chegou a denunciar o agressor formalmente, se apresentou alguma queixa crime. Na Suécia, o prazo de prescrição do crime de estupro é de dez anos.





Fonte: Ig
logomarca do portal meionorte..com