Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Brasileiro Felipe Nasr fica sem equipe para 2017 na F1

Piloto brasileiro ainda pode voltar a ser 3º piloto

Brasileiro Felipe Nasr fica sem equipe para 2017 na F1
Felipe Nasr | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

Sem conseguir encontrar um comprador após entrar em processo de insolvência no início do mês, a Manor anunciou que fechará suas portas e não disputará a temporada de 2017 da Fórmula 1. Com isso, acabaram todas as possibilidades de Felipe Nasr seguir como titular na categoria neste ano. O brasileiro ainda tem a possibilidade de fechar acordo para ser terceiro piloto, posição que já ocupou em 2014 na Williams.

A Manor chegou a receber várias propostas de compra, sendo a principal delas vinda de um consórcio asiático, mas nenhuma negociação foi completada. Com isso, os administradores da FRP Advisory, que tomaram o controle da equipe durante o período de insolvência, decidiriam parar as atividades comerciais da empresa.

"Nos últimos meses, a equipe de administradores trabalhou de forma incansável para trazer novos investidores para a equipe e assegurar seu futuro a longo prazo, mas infelizmente não conseguiram fazê-lo no tempo necessário e ficaram sem alternativa a não ser colocar a empresa em falência para proteger seus interesses e continuar procurando um comprador", publicaram os auditores em comunicado oficial.

Felipe Nasr (Crédito: Reprodução)
Felipe Nasr (Crédito: Reprodução)

"A FRP Advisory continuou esse trabalho a partir do início do mês e tentou assegurar investimento com negociações com várias empresas interessadas. Neste período, o time assegurou o pagamento dos funcionários até o final deste mês."

Com o fechamento da Manor, a Fórmula 1 ficou sem nenhuma das três equipes que entraram no campeonato em 2010, sob a promessa do então presidente da FIA, Max Mosley, de que haveria um teto orçamentário de 60 milhões de dólares, algo que nunca se tornou realidade. A equipe estreou naquele ano como Virgin ao lado de Hispania (depois HRT) e Lotus (que se tornou Caterham) e foi aquela que teve mais sucesso entre elas, conquistando pontos em 2014, com Jules Bianchi no GP de Mônaco, e 2016, com Pascal Wehrlein no GP da Áustria.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto