Chefe do fisco espanhol diz em tribunal que CR7 deveria ser preso

O jogador é acusado de deixar de pagar cerca de 15 milhões de euro

Caridad Gómez Mourelo, chefe da Unidade de Coordenação Central do Tesouro espanhol na área de Crime Fiscal, afirmou perante ao Tribunal de Primeira Instância que, em condições normais, a fraude fiscal que Cristiano Ronaldo é acusado de ter cometido deveria causar uma condenação e uma prisão. As declarações foram obtidas pelo jornal espanhol "El Mundo".

O jogador do Real Madrid é acusado de deixar de pagar cerca de 15 milhões de euros em impostos. A oficial do tesouro espanhol destacou que há presos que cometeram delitos menores.

"Sinceramente, temos pessoas na prisão por ter deixado de pagar 125 mil euros", afirmou Mourelo no tribunal no último dia 7 de dezembro, de acordo com o periódico espanhol. O dinheiro não declarado, segundo ela, é uma "quantia importantíssima".

A funcionária do tesouro disse, ainda, que CR7 teria se utilizado de testas-de-ferro e paraísos fiscais para não pagar impostos em cima do dinheiro vindo de direitos de imagem.

A defesa do jogador, segundo o jornal, defende que o caso trata-se de uma discrepância técnica que deveria ser resolvida no âmbito administrativo. A funcionária do tesouro, entretanto, nega essa possibilidade, afirmando ser impossível que uma soma tão grande de dinheiro não tenha sido declarada apenas por erro técnico.


Fonte: Com informações do Extra
logomarca do portal meionorte..com