Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Cielo relembra episódio marcante

Ouro em Pequim 2008 participa de eleição do maior momento olímpico da história do Brasil

Cielo relembra episódio marcante
| Getty Images
Compartilhe

A escolha do maior momento brasileiro na história dos Jogos Olímpicos começa neste domingo, dia 8, com a série Maiorais, do GloboEsporte.com e do Esporte Espetacular. E o nadador Cesar Cielo, ouro nos 50m livre em Pequim 2008, um dos dez convidados para compor o júri de notáveis, tem sentimentos mistos ao relembrar de um episódio marcante para o país. Informações do site GloboEsportes.com

Cielo tinha apenas 17 anos quando viu a Olimpíada de Atenas pela TV. E acompanhava com atenção a maratona, no último dia do evento, quando notou que o seu compatriota Vanderlei Cordeiro de Lima, liderava a prova. O nadador se empolgou, mas rapidamente se viu frustado por uma cena insólita: o ex-padre irlandês Cornelius Horan invadiu a rua e empurrou o maratonista brasileiro, que acabou jogado na calçada e só conseguiu voltar depois de ser ajudado pelo público.

Vanderlei Cordeiro ainda conseguiu voltar, mas foi ultrapassado por dois rivais (o italiano Stefano Baldini e o norte-americano Meb Keflezighi) e terminou com a medalha de bronze. Para comemorar, fez um aviãozinho na linha de chegada.

- Com certeza eu não ia chegar com aquele aviãozinho, não [risos]. Acho que eu ia chegar mostrando o dedo do meio para todo mundo. Eu ia estar muito puto! Eu ia estar muito bravo da vida. Aquilo me traz uma sensação ruim. Eu fico bravo assistindo àquela cena porque eu acho uma puta sacanagem - afirmou Cielo, ele, também, um dos candidatos a momento olímpico do Brasil com seu ouro nos Jogos de Pequim..


Maratona da injustiça


Conhecido por sua competitividade, o nadador disse que ainda classifica como “injustiça” o que aconteceu naquele mês de agosto na capital grega.

- Eu acho até hoje, e isso é uma convicção que eu tenho, que aquele momento, aquela medalha de ouro, era do Brasil. Mas aconteceu do jeito que aconteceu e ainda veio uma medalha para não ficar um cenário muito pior. Mas eu acho uma injustiça sem tamanho! E faz anos que eu vejo essa cena e faz anos que eu fico muito bravo - comentou.

Ele próprio detentor de três pódios olímpicos, Cielo também criticou os organizadores dos Jogos de Atenas por considerar inadmissível uma falha como a que envolveu Vanderlei.

- Eu acho que aquela medalha de ouro era dele. Foi uma coisa tão fora do real, dessa magnitude. Um evento desse, que acontece a cada quatro anos, e a gente ter um falha dessas? E com o cara que está liderando a maratona, que é a última prova da Olimpí­ada, onde está tudo preparado só para fechar a Olimpíada? Não dá - concluiu o recordista mundial dos 50m e 100m livre.

A série Os Maiorais reúne dez das principais lendas olímpicas brasileiras para eleger quatro categorias: o maior momento olímpico brasileiro, o maior momento olímpico internacional, o maior atleta olímpico internacional e o maior atleta olímpico brasileiro. Os resultados serão revelados em quatro domingos (8, 15, 22 e 29) ao longo de março no Esporte Espetacular.




Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar