Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Corinthians x Flamengo: Jorge Jesus venceu Fábio Carille em encontro

Técnicos estiveram frente a frente em Al-Wehda x Al-Hilal em novembro do ano passado.

Compartilhe
Google Whatsapp

Adversários neste domingo na partida entre Corinthians e Flamengo, às 16h (de Brasília), na Arena Corinthians, pela 11ª rodada do Brasileirão, os técnicos Fábio Carille e Jorge Jesus já se cruzaram no futebol, mais especificamente na Arábia Saudita, em novembro do ano passado, pelo torneio local.

Treinador de um dos times mais ricos do país, o Al-Hilal, Jorge Jesus não teve dificuldades para vencer o time de Carille, o Al-Wehda. A vitória por 3 a 0, fora de casa, com todos os gols marcados no primeiro tempo, foi a 13ª vitória seguida de sua equipe na ocasião. Jesus só conheceu sua primeira derrota pelo clube quatro rodadas depois, já em dezembro.

Jorge Jesus chegou no mês passado ao Flamengo — Foto: Alexandre Vidal / Flamengo 

Os gols do jogo foram marcados por Al Faraj, Al Dawasari e pelo brasileiro Carlos Eduardo. Ex-jogador do Porto, o meia de 29 anos vê semelhanças nos trabalhos do português e do brasileiro.

– São treinadores parecidos na forma como estudam o jogo, como trabalham taticamente. A diferença nessa partida foi que conseguimos fazer uma pressão muito grande na saída de bola e acabamos aproveitando as oportunidades que tivemos para marcar os gols. Tenho certeza de que vai ser um bom duelo de ótimos treinadores que vão se estudar muito antes da partida – projetou.

Diferenças entre os clubes

Quando as primeiras notícias sobre a saída de Fábio Carille do Corinthians apareceram, em maio de 2018, o Al-Hilal era apontado como o destino. Dias depois, porém, ele fechou com Al-Wehda, que havia recém-subido para a Primeira Divisão. Jorge Jesus, ex-Sporting, foi a escolha do Al-Hilal.

Na época, era o o ministro Turki Al-Sheikh quem dava as cartas no futebol saudita, definindo para onde cada profissional contratado iria. Um dos times mais fortes do país, o Al-Hilal brigou pelo título até a última rodada do campeonato, perdendo a taça para o Al-Nassr por apenas um ponto.

Além de Carlos Eduardo, o time de Jorge Jesus contava com alguns jogadores da seleção saudita e também com o atacante André Carrillo, da seleção peruana. Juntos, foram campeões da Supertaça contra o Al Ittihad.

– O Al-Hilal tinha um elenco superior, era o melhor time da Ásia. Fizeram três gols no primeiro tempo e depois administraram. Tivemos algumas chances, mas não conseguimos. Era um time muito bem treinado. Mas foi um bom jogo, com casa cheia – lembra Mauri Lima, que era preparador de goleiros do Al-Wehda na ocasião.

Fim do sonho das Arábias

Para Carille, a passagem pela Arábia Saudita durou seis meses. Seduzido pelo interesse do Corinthians em contar com seu retorno em 2019, o treinador voltou ao país no fim de 2018, após o Timão pagar sua multa, de valor próximo a R$ 3 milhões – o Al-Wehda acabou na sétima posição.

Fabio Carille no Al-Wehda — Foto: Divulgação


De volta ao clube nos braços da torcida, Carille já dirigiu o Timão em 43 partidas, com 18 vitórias, 13 empates e 12 derrotas. Campeão paulista, teve vida curta na Copa do Brasil, perdendo nas oitavas de final exatamente para o Flamengo, que já não tinha mais Abel Braga no jogo decisivo e contava com os serviços do interino Marcelo Salles.

Jorge Jesus durou um mês a mais na Arábia Saudita, deixando o clube no fim de janeiro por divergências contratuais. Foi substituído pelo croata Zoran Mamic e, em abril, pelo brasileiro Péricles Chamusca.

Curiosamente, o nome de Fábio Carille foi sondado recentemente para o cargo no Al-Hilal na nova temporada que se inicia, mas uma proposta nunca chegou a ser oficializada. Em junho, o romeno Razvan Lucescu, filho de Mircea Lucescu, ídolo do Shakhtar Donetsk, foi contratado pelo clube.

Apesar de eliminação, início de Jesus é promissor

Jorge Jesus só voltou a trabalhar em junho, quando aceitou o convite do Flamengo para substituir Abel Braga. Anunciado em 1º de junho, desembarcou definitivamente no país no dia 17 e comandou seu primeiro treino três dias depois.

O trabalho, no entanto, começou muito antes. Jorge Jesus opinou sobre reforços, gramados do CT e do Maracanã, estrutura... Com o time, adotou um novo esquema (4-1-3-2), mudou a rotina de treinos, prometeu uma equipe intensa e caiu nas graças da torcida.

O início é promissor, com boas atuações. A goleada por 6 a 1 sobre o Goiás, no domingo, foi uma exibição de gala. Em pouco tempo, no entanto, Jorge Jesus já tem uma mancha na passagem pela Gávea. Na quarta, o Flamengo foi eliminado nas quartas de final Copa do Brasil, nos pênaltis, pelo Athletico-PR, dentro do Maracanã, com quase 70 mil torcedores. Nada, no entanto, que afete seu prestígio. A eliminação não respingou no português, que ainda não completou um mês de trabalho com o elenco do Flamengo.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×