Diego mira Copa do Mundo e minimiza oscilação no Flamengo

Meia do Flamengo vai disputar os jogos contra Bolívia e Chile

O meia Diego, do Flamengo, foi um dos 24 convocados pelo técnico Tite para os jogos da seleção brasileira contra Bolívia (em La Paz, dia 5 de outubro) e Chile (em São Paulo, dia 10), pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o armador festejou a oportunidade.


- Parecido com a minha primeira convocação, com 17 anos. Nunca escondi meu sonho e grande objetivo de estar na seleção e disputar Copa do Mundo. Estar nesta lista significa um objetivo alcançado. Com muito trabalho coletivo, que acaba me alavancando. Muito feliz - disse.

Questionado sobre sua queda de rendimento, Diego foi contundente: chegar à Seleção significa que ele tem méritos, mesmo não mantendo o mesmo ritmo durante todo o ano.

- É difícil contestar. Estamos aqui para jogar. Temos que respeitar quem analisa. Uma coisa é verdade, ninguém alcança grandes objetivos por acaso, por ser simpático ou bonito. Mérito tem que ter. Procurei evoluir para manter o alto nível sempre. A queda não pode ser brusca, mas manter em uma temporada com situações diferentes acaba sendo impossível - completou.

 (Crédito: Gilvan de Souza / Flamengo)
(Crédito: Gilvan de Souza / Flamengo)

Veja mais trechos da entrevista coletiva de Diego:

Expectativa

- Estava na expectativa. Combinei com meu amigo Marcelo, assessor, para que fizesse sinal durante o treino, se estava ou não na lista. Nós vivemos intensamente o dia a dia, sabemos os critérios. Isso aumenta ou diminui expectativa. Era grande sim, mas respeitando opções. É a seleção mais concorrida do mundo.

Temporada

- A equipe passa por momentos difíceis. Jogador também. Acredito que não pode ser brusca. Mas estou satisfeito com a temporada. Estamos em um mês importante, que vai decidir muita coisa. Se está num bom ou excelente momento, é opinião e eu respeito.

Copa do Mundo

- O sonho de jogar Copa me motiva diariamente. Esse sonho passa pelo Flamengo. Por isso me dedico constantemente. Chegar em uma Copa seria o auge da minha carreira.

Mudanças do Rueda

- Não cabe a nós avaliarmos esse tipo de decisão. Estamos aqui para jogar, queremos jogar. É natural. Agora cabe ao treinador decidir em que momento colocar cada jogador. Tudo isso é uma decisão dele. Está preparado. Não seis e jogarei contra o Sport, mas estarei preparado. A equipe entendeu bem isso.

Desempenho fora de casa

- Olha, com todo respeito à sua opinião, eu discordo quando se fala que faltou ser mais decisivo. Se analisar a temporada até agora, não alcançamos um grande objetivo, que era classificar na Libertadores, mas fomos campeões de forma invicta no Carioca. As equipes cariocas têm mostrado, umas mais e outras menos, que são competitivas e difíceis. Não perdemos para nenhuma delas. Fomos campeões de forma contundente, jogamos em estádios e ambientes diferentes.

- Aí chegou na Libertadores, onde fora (de casa) nós tivemos dificuldade de alcançar o resultado, mas dentro de casa em momentos decisivos jogamos muito bem e vencemos muito bem também. Copa do Brasil é outro exemplo. Campeonato muito difícil e estamos na final. Então, eu acho que sem dúvidas nossa equipe tem algo a melhorar, com certeza, para se tornar ainda mais forte. Mas sem dúvidas já temos provas de que podemos, sim, independentemente das circunstancias reagir bem. Tenho total confiança neste grupo.

Tite

- Já ouvia falar muito dele, amigos que trabalharam com ele. Confirmei tudo. Inteligente, sensível nos detalhes, sabe valorizar o que cada um tem de bom. Passa confiança e prazer em trabalhar com ele. Deixa o ambiente positivo e favorável para todos.


Fonte: Globo Esporte
logomarca do portal meionorte..com