Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Jogadores do River Plate vão tomar viagra para combater a altitude

De acordo com o médico do River, Pedro Hansing, o conhecido remédio contra a disfunção erétil ajuda os jogadores a respirarem melhor.

 Jogadores do River Plate vão tomar viagra para combater a altitude
viagra | Reprodução
Compartilhe

A altitude é um vilão eternamente lembrado a cada edição da Copa Libertadores. Principalmente pelos times brasileiros que vão jogar na Bolívia ou no Equador. Na Argentina os clubes também reclamam da altitude, mas um remédio tem sido usado para combater os seus efeitos. Depois do San Lorenzo no ano passado, o River Plate dará Viagra aos seus jogadores para eles tentarem resistir aos efeitos dos 3.735m acima do nível do mar na cidade de Oruro, na Bolívia, onde o time enfrenta nesta quinta-feira o San José.

O jogo válido pelo grupo 6 marcará a estreia do time campeão da Copa Sul-Americana na edição deste ano do torneio. E o River não quer sofrer como o Internacional, que perdeu na sua estreia para o The Strongest na altitude de 3.640m de La Paz, na Bolívia. No outro jogo desta quinta, o Libertad recebe o Atlético Nacional de Medellín, pelo grupo 7.

De acordo com o médico do River, Pedro Hansing, o conhecido remédio contra a disfunção erétil ajuda os jogadores a respirarem melhor.

- O viagra estimula a circulação de oxigênio pelo sangue e ajuda a respirar melhor. O objetivo é esse: melhorar a oxigenação para atenuar a falta de oxigênio que há em Oruro - disse o médico, em entrevista à rádio "América".

Para aguentarem os efeitos da altitude, o clube também decidiu ir para Oruro apenas nesta quinta-feira. Os atletas ficaram hospedados em Santa Cruz de la Sierra, que fica a 800m de altitude, antes de ir para o estádio. Segundo Hansing, o River está se preparando há 20 dias para esta partida. Além do Viagra, o time vinha se adaptando em câmaras hiperbáricas e vai tomar também aspirina e cafeína.

- É preciso administrar os remédios antes de ir à altura para que os efeitos não descompensem os jogadores - afirmou.

No ano passado, o San Lorenzo usou do mesmo remédio para superar os efeitos da altitude de La Paz, onde o time enfrentou o Bolívar. O clube fez o mesmo na primeira fase, contra o Independiente del Valle, do Equador. A estratégia deu certo. O time argentino, que conquistaria o seu primeiro título da competição, empatou no Equador por 1 a 1 e perdeu apenas por 1 a 0 na Bolívia.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar