mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Maratonistas treinam no interior do país para Jogos Olímpicos em 2021

Qualificados para Tóquio, Daniel Chaves e Paulo Roberto de Almeida se preparam longe dos grandes centros urbanos

Maratonistas treinam no interior do país para Jogos Olímpicos em 2021
Maratonistas | Wagner Carmo/CBAt

O Brasil tem dois maratonistas qualificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiados para 2021. O fluminense Daniel Chaves e o paulista Paulo Roberto de Almeida Paula conseguiram o tempo mínimo de 2:11:30, exigido pela World Athletics (ex-IAAF) e referendado pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Com o adiamento ou cancelamento das competições no mundo por causa da pandemia de COVID-19, Daniel e Paulo Roberto não puderam tentar melhorar suas marcas por falta de corridas. Daniel, de 31 anos, conseguiu o índice na Maratona de Londres, na Inglaterra, em 2019, quando completou os 42,195 km em 2:11:10, ficando em 15º lugar. Já Paulo Roberto, de 40 anos, foi o 24º na Maratona de Sevilha, na Espanha, em fevereiro deste ano, com 2:10:08, o melhor tempo da carreira. Com isso, qualificou-se para a terceira Olimpíada seguida, já que competiu em Londres-2012 e Rio-2016.

Sem provas definidas para o final de 2020 e antes dos Jogos Olímpicos em 2021, os dois estão tentando treinar da melhor maneira possível em tempos de quarentena.

Paulo Roberto, que mora e treina na cidade de Moita, em Portugal, voltou para o Brasil no dia 24 de abril. Cumpriu os 14 dias recomendados de isolamento e reiniciou a preparação em Dracena, cidade a 20 km de Irapuru (SP), onde está morando. “Estamos no começo, sem intensidade, fazendo 10 km em apenas um período por dia”, disse o maratonista, oitavo colocado em Londres-2012 e sétimo no Mundial de Atletismo de Moscou-2013.

Atleta também da equipe Run Tejo, Paulo Roberto participa normalmente de várias competições em Portugal e na Europa. Acostumado a usar máscara nos treinos no inverno, adaptou-se bem à novidade. “Vamos ter de conviver ainda mais um tempo com a ameaça da COVID-19 e por isso temos de tomar preocupações. Não é nada de outro mundo correr com máscara”, comentou o atleta, que teve apoio da CBAt para voltar ao Brasil.

Já Daniel Chaves está treinando numa área rural de Brasília, também com os cuidados exigidos pela pandemia. “Fizemos 30 dias de período de transição, quando foi anunciado o adiamento dos Jogos de Tóquio. Retomamos com trabalhos de reforço muscular e algumas corridas em estradas de terra”, lembrou o técnico Jorge Luís da Silva. “Estamos tendo essa facilidade por causa do local isolado em que Daniel mora.”

O atleta nascido em Petrópolis (RJ), que morou dois anos num centro de treinamento na Holanda, corre com máscara em alguns momentos e, às vezes, abaixa para respirar, contou o treinador. “Ele está voltando aos poucos, correndo entre 8 e 15 km por dia.” Daniel é recordista brasileiro na categoria sub-23 dos 10.000 m, com 28:49.42, obtido em 2009, no Rio de Janeiro. (COB/Fonte: CBAt)


Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail