Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Lateral Marcelo diz estar tranquilo antes de estreia sob Felipão

Apesar de ter apenas 24 anos, Marcelo é convocado para a seleção brasileira desde 2006.

Compartilhe

O lateral-esquerdo Marcelo é reconhecido pelo talento desde o início da carreira, quando atuava no Fluminense. Rápido, habilidoso, ofensivo, sempre foi apontado como o jogador ideal para ocupar por anos a posição na seleção brasileira. O tempo passou e o atleta ganhou poucas chances. Agora, Marcelo terá nova oportunidade para mostrar que tem lugar no time. Na segunda-feira, ele começa a partida contra a Rússia como titular.

Apesar de ter apenas 24 anos, Marcelo é convocado para a seleção brasileira desde 2006. Claro que não constantemente. Mas pouco jogou. Sua maior sequência foi com a equipe que disputou a Olimpíada de Pequim em 2008 e ficou com a medalha de bronze.

Desde que Felipão assumiu, Marcelo não pôde participar do amistoso contra a Inglaterra por estar contundido e contra a Itália, na quinta-feira, foi preterido - Filipe Luís começou jogando. Mas contra a Rússia ele vai jogar. E garante não sentir obrigado a tornar-se titular incontestável da lateral esquerda.

"Eu sou muito tranquilo e sempre faço o meu trabalho para ajudar a seleção. Não fico pensando se sou talentoso, se as pessoas vão me criticar ou encher a minha bola", afirma. "Eu sempre fico na minha e com objetivo de ajudar a seleção. Se jogo dois minutos ou não jogo é sempre um prazer estar na seleção."

Para Marcelo, a partida contra a Rússia em Londres não é vital nem para ele e nem para a seleção brasileira. "A gente não tem de pensar que se ganhar da Rússia vai ficar tudo às mil maravilhas. Temos de nos concentrar em fazer a cada jogo o que o professor (Felipão) pede, para estar sempre melhorando algumas coisas. Depois da Rússia teremos muito mais jogos pela frente."

Ele entende que a seleção está evoluindo, a ponto de achar que, contra a Itália, "a gente (o Brasil) foi bem para caramba no jogo". "Precisamos nos aprimorar, ir crescendo, mas o time está bem."

Sobre o fato de não estar jogando no Real Madrid, ele prefere evitar polêmica. "Esse pergunta não é para mim. Quem escolhe quem vai jogar é sempre o treinador e ele vai colocar quem estiver melhor no ponto de vista dele. Eu me sinto bem, estou treinando bem, mas quem escala é o treinador", disse, numa referência a José Mourinho, que tem dado preferência ao português Fábio Coentrão.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar