Entre os 30 brasileiros que atuam na primeira divisão do futebol ucraniano, a situação de Junior Moraes é a que mais chama a atenção. As informações são do Globoesporte.

Nascido em Santos, no litoral paulista, o atleta de 34 anos é o único deles que possui passaporte ucraniano, após se naturalizar cidadão do país em 2019. Um dos 13 brasucas do elenco do Shakhtar Donetsk, ele está ao lado dos companheiros, em Kiev, aguardando o desenrolar dos fatos no conflito do país com a Rússia, mas convive com a possibilidade de ser convocado para o exército local.

Junior Moraes comemora gol pela seleção ucraniana — Foto: Stanislav Vedmid/Getty Images Junior Moraes comemora gol pela seleção ucraniana — Foto: Stanislav Vedmid/Getty Images 

A apreensão que teve início na madrugada de quinta-feira se divide com a saudade da esposa Priscila, e os dois filhos, Lucca e Maria Julia, que estão no Brasil e conversaram com o pai através de chamada de vídeo.

Antes mesmo do conflito, a família do jogador retornou ao Brasil, quando o atacante saiu de férias no fim de 2021. Na virada para 2022, Moraes rumou com o Shakhtar para uma intertemporada na Turquia e só retornou à Ucrânia nesta semana.

Situação delicada em hotel

Moraes está junto com os brasileiros em um hotel na região central de Kiev. Os jogadores tiveram um espaço improvisado destinado a eles, mas estão se alimentando com base nas reservas do hotel, que deixou claro que não sabe por quanto tempo haverá comida.

Enquanto os brasileiros se movimentam para tentar uma solução, o caso de Moraes é diferente. Por ser naturalizado ucraniano, o jogador, em tese, pode ser convocado para o exército local.

Brasileiros estão reunidos em hotel na Ucrânia (Foto: Reprodução de internet) Brasileiros estão reunidos em hotel na Ucrânia (Foto: Reprodução de internet) 

Foi o que aconteceu com o volante Edmar, em 2014, na guerra que resultou na anexação da Crimeia pela Rússia. Na época, o brasileiro, também naturalizado, chegou a ser chamado para o exército, mas conseguiu a liberação graças à intervenção de seu clube.

Na noite de quinta-feira, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, declarou estado de mobilização geral na Ucrânia, com validade de 90 dias. A medida proíbe a saída do país de cidadãos ucranianos do sexo masculino pelo período em que a legislação permanecer em vigor.

A medida convoca ainda todos os recrutas e reservistas aptos para o serviço. Eles precisarão se apresentar às instituições militares do país.