O torcedor que desejar colocar um nome e número de sua escolha na camisa oficial do Brasil na Copa precisará desembolsar, além dos R$ 350 do uniforme, R$ 20 adicionais para a personalização. As informações são da Agência O Globo/iG.

No entanto, a customização não é irrestrita: não é possível adicionar o nome dos presidenciáveis Lula e Bolsonaro no produto. Quem percebeu a limitação foi o jornalista José Passini, que comentou sobre o assunto nas redes sociais. 

Nike impede nomes de Lula e Bolsonaro na camisa da Seleção Brasileira - Foto: ReproduçãoNike impede nomes de Lula e Bolsonaro na camisa da Seleção Brasileira - Foto: Reprodução

O nome a ser inserido na camisa deve ter no máximo 10 caracteres, o que limita nomes completos de outros candidatos, como Sofia Manzano, do PCB. 

O representante do PDT, Ciro Gomes, também figura na lista de proibições, assim como o ex-Presidente Michel Temer, o ex-juiz federal Sérgio Moro e os termos "Comunismo" e "Socialismo". "Dilma" é uma das opções possíveis.