Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Pedrinho rebate crítica na derrota do Corinthians

Jogador discordou de seu treinador e preferiu apontar os problemas coletivos para o revés que complica a situação alvinegra.

Compartilhe

Pedrinho tem 21 anos e está em seu terceiro ano na equipe principal do Corinthians. Mesmo assim, foi um dos jogadores citados por Fábio Carille, em entrevista coletiva logo após a derrota para o Independiente del Valle, que podem ter sentido o jogo de semifinal de Copa Sul-Americana, principalmente pelo estilo de jogo de mais contato físico. Com informações da Gazeta Esportiva.

Pedrinho errou muitos passes, não acertou as finalizações e esteve muito abaixo do que vinha jogando (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians).

Perguntado, o garoto discordou de seu treinador e preferiu apontar os problemas coletivos para o revés que complica a situação alvinegra para a partida de volta, semana que vem, no Equador.

Gil ficou no mano a mano em muitas oportunidades e se mostrou com muita dificuldade para parar os atacantes equatorianos (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians) 

“Já joguei, é a segunda ou terceira competição, estou bastante tempo no profissional. O grupo todo sentiu esse jogo, não fizemos um dos melhores jogos, creio que foi um dos piores jogos que nós fizemos, mas temos tudo para evoluir e fazer um grande jogo lá”, afirmou Pedrinho, evitando polemizar e com discurso compartilhado por Cássio.

“Perdeu, perdeu todo mundo. Ganhou, ganhou todo mundo. É fazer um grande jogo contra o Bahia e depois pensar nisso. Uma vitória nos dará confiança para quarta”, afirmou Cássio.

Quem também se manifestou sobre o discurso do treinador foi Mateus Vital, outro jovem citado nominalmente por Carille na coletiva.

“Não, ninguém sentiu pressão, não. Faz parte.

Por que pressão? Pegamos o Fluminense e jogamos, Fluminense é uma equipe grande, confronto parecido com esse, ninguém sentiu pressão nenhuma”, rebateu o meia.

“É ter cabeça no lugar de reverter a situação. Temos condições de ir lá e reverter a situação. Temos de fazer um bom jogo no sábado, e a gente não descarta a Copa Sul-Americana, não chutamos o balde na competição, porque hoje foi um jogo atípico”, concluiu Gabriel.



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar