Um passo. Foi isso que separou Rebeca Andrade de uma terceira medalha olímpica em Tóquio. Nesta segunda-feira, a brasileira deu show com o Baile de Favela na final do solo das Olimpíadas de Tóquio. Não fosse um passo para fora do tablado na chegada da primeira acrobacia... Nada que ofusque o brilho da participação histórica da ginasta de 22 anos nos Jogos, com a prata no individual geral e o ouro no salto.

O Baile de Favela de Rebeca Andrade levantou o Centro de Ginástica Ariake mais uma vez. Foi uma grande apresentação, mesmo com o passo para fora que lhe tirou um décimo. Tirou 14,033 pontos. Por apenas 0,133 pontos não veio o pódio, mas a ginasta saiu do tablado com o sorriso no rosto de uma campeã olímpica.

Sem Simone

Mesmo sem Simone Biles, a final do solo teve um nível muito elevado. A americana Jade Carey, que havia falhado no salto, deu a volta por cima com uma série cravada para ficar com o ouro, com 14,366 pontos. A veterana italiana Vanessa Ferrari conseguiu a prata, sua primeira medalha olímpica em sua quarta participação, conseguindo 14,200 pontos. A japonesa Mai Murakami e a russa Angelina Melnikova empataram na terceira posição, com 14,166 pontos.

Rebeca Andrade fica em quinto lugar na final do solo  Foto:  Ricardo Bufolin/ Panamerican Press / CBGRebeca Andrade fica em quinto lugar na final do solo  Foto:  Ricardo Bufolin/ Panamerican Press / CBG

A prova

A russa Viktoriia Listunova abriu a disputa e teve dificuldades em suas aterrissagens, sofrendo uma queda na segunda acrobacia e ficando fora da disputa (12,400). Depois de falhar no salto, a americana Jade Carey entrou na sequência e se recuperou com uma série praticamente cravada e conseguiu 14,366 pontos. A britânica Jessica Gadirova também acertou sua apresentação, mas ficou com 14,000 por ter menor dificuldade.

O nível da final continuou muito alto. A russa Angelina Melnikova também passou muito bem, só não cravando a última acrobacia (14,166). Aí entrou em ação a favorita, a italiana Vanessa Ferrari. Ela encantou o Centro de Ginástica Ariake com uma série cravada e tirou 14,200, se colocando na segunda posição. Campeã mundial do solo em 2017, a japonesa Mai Murakami também deu show e empatou com Melnikova (14,166).

Bem acirrada

Em uma final tão acirrada, Rebeca precisava ser perfeita na execução para chegar ao pódio. Ela foi com tudo, mas talvez o excesso de força fez ela dar um passo para fora do tablado na chegada da primeira acrobacia. Ela se recuperou, cravou o restante da série e ficou feliz com o seu resultado, mesmo quando viu a nota 14,033 pontos, ficando na quinta posição por 0,133 pontos.

A britânica Jennifer Gadirova fechou a final. Com uma série mais simples, conseguiu 13,233 pontos.