O São Paulo voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Recebendo o Santos nesta segunda-feira, no Morumbi, pela quarta rodada da competição, o Tricolor foi melhor que o adversário no clássico e acabou saindo de campo com o triunfo por 2 a 1. Calleri e Luciano, de pênalti, balançaram as redes para os donos da casa. Marcos Leonardo fez o único gol santista.

O resultado positivo para o São Paulo teve influência direta do VAR nesta segunda-feira. Já na reta final do segundo tempo, Alisson cruzou, e Rodrigo Fernández tocou a bola com o braço. A princípio o juiz da partida, Leandro Vuaden, não viu qualquer irregularidade, mas, após revisão do árbitro de vídeo, a infração que decidiu o clássico foi marcada.

Após dois tropeços seguidos no Campeonato Brasileiro, o São Paulo voltou a vencer, subindo para a quinta colocação na tabela. O Santos, por sua vez, caiu para o sexto lugar com o revés no Morumbi. 

São Paulo vence o Santos por 2 a 1 no Morumbi Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.netSão Paulo vence o Santos por 2 a 1 no Morumbi Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

O jogo

O São Paulo teve o controle do primeiro tempo e não demorou muito para abrir o placar. Logo aos oito minutos, Patrick, com muita liberdade, fez o cruzamento pela esquerda, e Calleri cabeceou certeiro para estufar as redes e colocar os donos da casa em vantagem na partida.

Porém, depois do gol do camisa 9 são-paulino, o Tricolor não conseguiu mais agredir o Santos com tanta facilidade, embora seguisse com a posse de bola. Os donos da casa trocavam passes, evitavam qualquer ameaça do rival, mas também não produziam nada de muito contundente no jogo.

O clássico só voltou a esquentar na reta final do primeiro tempo. Aos 35, Rodrigo Nestor cruzou para Patrick, que cabeceou no segundo pau tirando tinta da trave. Depois foi a vez de Igor Gomes aparecer nas costas da zaga e ajeitar para Calleri chegar batendo, mas o argentino não pegou em cheio na bola, perdendo outra grande chance de ampliar o marcador.

E quando os são-paulinos menos imaginavam, o Santos achou o gol de empate. Já nos acréscimos, Léo Baptistão aproveitou que Welington foi ao chão e cruzou para o meio da área. A bola passou por Arboleda e sobrou para Marcos Leonardo, que, de carrinho, deixou tudo igual no clássico San-São.

Segundo tempo

O São Paulo voltou pro segundo tempo ligado e por pouco não retomou a vantagem logo aos seis minutos com Alison, que tabelou com Eder na entrada da área e bateu firme, mas no meio do gol, facilitando a vida de João Paulo. Pouco depois, Alisson mandou na área para Calleri, mas Velázquez chega antes e quase joga contra o próprio gol, obrigando o goleiro santista a fazer outra boa intervenção.

O Santos optou por explorar os contra-ataques e quase virou o jogo justamente assim. Johan Julio acionou Rodrigo Fernández, que bateu por cima do travessão. O São Paulo respondeu em cobrança de falta de Rodrigo Nestor, que chegou a tocar no travessão.

Mas, aos 32 minutos, a sorte esteve ao lado do São Paulo. Alisson chegou à linha de fundo e cruzou para a área. Rodrigo Fernández, ao tentar fazer o bloqueio, tocou com o braço na bola, e, após revisão do VAR, o árbitro Leandro Vuaden marcou pênalti. Luciano foi para a cobrança e não desperdiçou, garantindo a importante vitória para o Tricolor.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 1 SANTOS

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo

Data: 2 de maio de 2022, segunda-feira

Horário: 20h (de Brasília)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e José Eduardo Calza (RS)

VAR: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN)

Público: 36.746 torcedores

Renda: R$ 1.581.896,00

GOLS: Calleri, aos 9 do 1ºT, e Luciano, aos 35 do 2ºT (São Paulo); Marcos Leonardo, aos 45 do 1ºT (Santos)

Cartões amarelos: Rafinha, Alisson (São Paulo); Marcos Leonardo, Madson, Bustos e Rodrigo Fernández (Santos)

SÃO PAULO: Jandrei; Rafinha (Igor Vinícius), Diego Costa, Arboleda e Welington; Andrés (Luciano), Patrick (Alisson), Igor Gomes e Nestor (Pablo Maia); Eder (Marquinhos) e Calleri.

Técnico: Charles Hembert

SANTOS: João Paulo; Madson, Maicon, Velázquez e Lucas Pires; Rodrigo Fernández, Zanocelo (Angulo) e Felipe Jonatan (Lucas Braga); Jhojan Julio (Willian Maranhão), Léo Baptistão (Goulart) e Marcos Leonardo

Técnico: Fabián Bustos