Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Seleção feminina de basquete treina em busca da vaga olímpica

Disputa do Pré-Olímpico Mundial, que acontece entre os dias 6 e 9 de fevereiro, em Bourges (França)

Seleção feminina de basquete treina em busca da vaga olímpica
José Neto, treinador da seleção feminina | Alexandre Loureiro/COB
Compartilhe

Em busca da oitava participação consecutiva nos Jogos Olímpicos, a seleção feminina de basquete treina no Rio de Janeiro para a disputa do Pré-Olímpico Mundial, que acontece entre os dias 6 e 9 de fevereiro, em Bourges (França). A preparação está dividida em três etapas e conta com o apoio direto do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Nesta primeira fase, que vai até 27 de janeiro, a seleção tem realizado atividades em solo brasileiro e aproveitado a estrutura do CT Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk. Depois, viaja para Belgrado e disputa um amistoso contra a Sérvia no dia 3 de fevereiro, quando embarca para a França.

“Essa parceria com o COB tem sido extremamente importante. Podemos usufruir da estrutura oferecida, que envolve também hotel, alimentação e transporte. Assim, não precisamos nos preocupar com o que acontece fora de quadra e ficamos voltados somente às questões físicas, técnicas e táticas”, diz José Neto, treinador da seleção feminina.

A chegada do novo comandante pode ser considerada um divisor de águas para essa equipe. Desde sua contratação, em maio de 2019, a seleção recuperou a autoestima e o prestígio junto à torcida, tendo conquistado a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos Lima 2019, com direito a vitória sobre os Estados Unidos na final: 79 a 73. E um dos segredos do sucesso está justamente na preparação da equipe.

“Todo êxito envolve uma somatória de fatores. Algumas coisas que nos ajudaram a chegar aqui em condições de brigar por uma vaga em Tóquio compreendem justamente essa parte preparatória. A maioria das jogadoras nunca tinha feito avaliações nessa quantidade e com essa qualidade, como a que fizeram no Laboratório Olímpico. As atletas veem que existem pessoas preocupadas em oferecer as melhores condições a elas e retribuem com muito comprometimento”, explica Neto.

De fato, a seleção feminina tem mostrado uma intensidade maior nos jogos e, nesse sentido, outro aspecto que merece destaque é o trabalho físico desenvolvido pelo preparador Diego Falcão. Segundo Neto, as atletas se conscientizaram sobre a cultura do treinamento e, com os resultados das avaliações realizadas pelo Laboratório Olímpico, puderam identificar aspectos a serem melhorados em seu jogo. Além disso, o treinador ressalta o espírito coletivo da seleção.

“Esse trabalho em equipe representa muito para nós. Somos uma equipe que defende bem e que dá muitas assistências, quesito dentro do jogo que melhor representa a coletividade. Num esporte coletivo, isso é que deve prevalecer. Conseguimos transformar esse discurso em prática e vejo todas focadas para que o basquete feminino se sobressaia”.

A seleção feminina estreia no Pré-Olímpico Mundial contra Porto Rico, em 6 de fevereiro. Depois, nos dias 8 e 9, enfrenta França e Austrália, respectivamente. As três melhores seleções se classificam para Tóquio 2020. (Do COB)


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar