Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Thiago Neves perde ação contra Flamengo sobre direito de Arena

A juíza julgou improcedente o pedido do jogador

Thiago Neves perde ação contra Flamengo sobre direito de Arena
Thaigo Neves | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

O jogador do Cruzeiro Thiago Neves perdeu ação contra o Flamengo na primeira instância onde cobra pagamentos que considera devidos por direito de arena em sua passagem pelo clube, em 2011.

A juíza Camila Leal Lima, da 66ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, julgou na última quinta-feira, improcedente o pedido do jogador que no processo requer que o Flamengo pague integralmente a cota de 20% de direito de arena em seu contrato de trabalho, percentual que por conta de acordo coletivo com o Sindicato dos Atletas, foi reduzido para 5%.

 src=


O clube da Gávea considera que nada deve ao jogador, já que quitou todos os pagamentos quando o percentual era de 20% e também quando foi reduzido para 5%. O atleta, contudo, cobra a diferença de 15% entre os valores. Apesar da derrota em primeira instância, Thiago Neves ainda pode recorrer. O departamento jurídico do Flamengo explicou:

- Quando Thiago Neves chegou ao clube, o contrato previa 20% de direito de arena. Mas, poucos meses depois, após acordo coletivo (sindicato dos atletas) homologado em juizo, houve redução para 5% no contrato. Thiago Neves entrou na Justiça pedindo pra que fossem pagos a ele os 15% de diferença sobre todo o período pós-redução.

Na sentença, a juíza Camila Leal Lima explica que "não assiste razão ao reclamante quanto à aplicação da antiga redação por toda a vigência do contrato". Diz o texto:

"Desse modo, a partir de 17/03/2011, é aplicável o percentual de 5%, o qual já foi devidamente quitado pelo réu (...). Portanto, e como é incontroverso nos autos que já houve o pagamento da parcela em relação ao percentual previsto no contrato especial de trabalho, também não há falar em pagamento de diferenças por esse fundamento. Desta forma, julgo improcedente o pedido".




Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×