Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Verdão aguarda sinalização de Mina e fala em "saída cara" ao Barça

Clube admite possibilidade de transferência, mas só com dinheiro

Verdão aguarda sinalização de Mina e fala em "saída cara" ao Barça
1 | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

A saída de Yerry Mina para o Barcelona caminha para acontecer mesmo antes de julho, mas o Palmeiras garante que não liberará o zagueiro colombiano por pouco dinheiro. A diretoria diz que só topará a transferência imediata se o pagamento for "caro".

No acordo firmado em 2016, há uma prioridade de compra por 9 milhões de euros (R$ 35 milhões na cotação atual) após a Copa do Mundo pelos 100% dos direitos econômicos – o Palmeiras tem 80%, sendo os demais 20% pertencentes ao Santa Fe, da Colômbia.

No orçamento palmeirense para este ano, aliás, estava prevista a entrada de R$ 27 milhões (conversão da época da contratação) em julho referente à negociação do defensor.

O clube catalão já comunicou que está disposto a desembolsar mais dinheiro para ter o jogador de 23 anos em janeiro, mas, antes de qualquer decisão, o Palmeiras aguarda o retorno de Mina ao Brasil, nesta sexta-feira, para uma conversa "olho no olho".


A diretoria espera que o zagueiro diga qual seu verdadeiro interesse. Para algumas pessoas, a sensação é de que a cabeça dele já está mais voltada para o futuro no futebol europeu e a Copa do Mundo. O jogador não teve no ano passado o mesmo rendimento do primeiro ano com a camisa alviverde.

A conversa deve ocorrer na tarde desta sexta-feira, quando Mina e o atacante Miguel Borja se reapresentarão na Academia de Futebol. Ambos foram liberados para voltar dois dias depois do restante do elenco.

E o dinheiro?

Se a venda for concretizada, parte do montante não ficará com o Palmeiras. Como foi o ex-presidente Paulo Nobre quem bancou a compra do zagueiro, em 2016, o clube terá que o ressarcir, pagando o valor investido (R$11,7 milhões) com correção monetária.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto