Na última quinta-feira (10) a Binance, através de um comunicado, anunciou a disponibilização de oito novas opções de criptomoedas para serem adquiridas por meio de pagamento de cartão de crédito ou débito para seus clientes no Brasil, possibilitando novas formas de usuários pagarem por ativos digitais.

As 8 novas criptomoedas são a mais nova adição a categoria de compra via cartão de crédito ou débito na Binance, que em janeiro já havia disponibilizado suporte a 25 outros ativos digitais, que se juntaram as figuras carimbadas do mercado, como Bitcoin e Ethereum.

Binance libera compra de novas criptomoedas no Brasil via cartão de crédito- Foto: ReproduçãoBinance libera compra de novas criptomoedas no Brasil via cartão de crédito- Foto: Reprodução

As criptomoedas adicionadas na quinta-feira foram as seguintes:

  • CLV
  • CREAM
  • HARD
  • HIGH
  • MOVR
  • NULS
  • SKL
  • STX

É importante frisar que mesmo a corretora deixando claro que não há remessas de dinheiro enviadas para o exterior nas compras de criptomoedas através de cartões de crédito, exclusivamente para brasileiros ela cobra o Imposto sobre Operações Financeiros (IOF) de 6,8%.

O final da semana passada, porém, não foi constituído somente de boas notícias quanto a transações com cartão de crédito na Binance, já que no sábado (12) o Banco Inter bloqueou PIX realizados por seus clientes para a corretora de criptomoedas, com postagens no ReclameAqui inclusive apontando a existência mensagens recomendando que o usuário não tente realizar novamente a operação para aquele destinatário em específico.

A medida não foi a primeira do tipo realizada por um banco, sendo precedida por alguns dias pelo Nubank, que alertou aos seus usuários que estava bloqueando compra de Bitcoin e outras criptomoedas na Binance através de seus cartões de crédito.

Para muitos, essas decisões são vistas como medidas que afetam a liberdade financeira dos correntistas e clientes dos bancos, gerando dúvidas sobre a razão pela qual essas instituições estão tentando bloquear a compra de ativos digitais.

Para esclarecimentos sobre as questões, o Canaltech entrou em contato tanto com o Nubank, que nos enviou o seguinte posicionamento: 

O Nubank esclarece que a ação de segurança faz parte de um mecanismo preventivo anti-fraude aplicado em compras de cartão de crédito a determinados estabelecimentos. Não há qualquer relação com um segmento de mercado, produto ou serviço em particular. Enfatizamos, inclusive, nosso entusiasmo com tecnologias disruptivas capazes de atender as necessidades dos clientes, como tem se apresentado o universo das criptomoedas, uma tendência global.