Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

15 pessoas são intoxicadas após comer em hamburgueria de Teresina

A denúncia foi feita por familiares dos pacientes, que relataram que eles começaram a passar mal horas depois de lancharem no estabelecimento

Compartilhe

Um grupo de pelo menos 15 pessoas passou mal após comer produtos de uma hamburgueria chamada Mister Dog, que fica em uma avenida do bairro Jóquei Club, na zona Leste de Teresina. Segundo as informações, elas deram entrada em hospitais da capital com suspeita de intoxicação alimentar.

As denúncias foram feitas através das redes sociais nesta sexta-feira (11) pelos próprios familiares das vítimas. Segundo relatos dos parentes, o grupo que inclui jovens e adolescentes, começou a passar mal após consumir o lanche no local ainda no último fim de semana.  Todos apresentam os mesmos sintomas como febre, vômito, dores na cabeça e na barriga.

Imagem: Google Maps

O local ainda funciona como posto de lavagem de carros durante o dia. Em uma unidade de saúde, pais dos adolescentes comentaram o caso. Nas redes sociais, a dentista Letícia Evelin denúncia que, além do seu noivo que está internado em um hospital privado, outras pessoas estão com os mesmos sintomas. 

"Alguém aqui teve conhecimento de alguém que tenha tido infecção intestinal, sobretudo até o final de semana, após consumir os sanduíches de um determinado estabelecimento próximo ao Extra? Estou neste momento no hospital com meu noivo internado desde segunda-feira (7) ainda sem previsão de alta, com infecção por toxina alimentar, e o médico relatou que mais 4 pacientes estão aqui pelo memso motivo exatamente por um tal sanduíche", alertou Letícia Evelein.

Reprodução: Instagram Letícia Evelin

Após a publicação da reportagem, outras vítimas surgiram relatando o mesmo ocorrido. “Minha filha foi vítima também, passou mal algumas horas depois, com febre, calafrios, dor na barriga, cabeça, vômito e diarréia. Demos várias entradas na urgência e ainda hoje está se recuperando. Perdeu 3,5kg! Absurdo! Muita irresponsabilidade desse estabelecimento. Minha filha foi vítima também, passou mal algumas horas depois, com febre, calafrios, dor na barriga, cabeça, vômito e diarréia. Demos várias entradas na urgência e ainda hoje está se recuperando. Perdeu 3,5kg! Absurdo! Muita irresponsabilidade desse estabelecimento”, escreveu uma internauta.

Uma outra pessoa também disse que ela e seu esposo foram vítimas da intoxicação após comer um cachorro quente no local. “Eu e meu esposo fomos vítimas, comemos um cachorro quente e quase morremos, fomos internados, ressaltando que estou grávida de 7 meses. Isso é de uma tamanha irresponsabilidade, que trabalha com alimentos deve ter no mínimo higiene e respeito com a vida do outro. Graças a Deus já comecei a apresentar melhora,mas meu esposo ainda está bem mal.REVOLTANTE!”, completou. 

 Vigilância Sânitária se posiciona

A gerente da Vigilância Sanitária de Teresina, Jeanyne Seba, relatou ao Meionorte.com que ontem a noite, uma pessoa entrou em contato para realizar a denúncia do caso. Ao chegar ao local para averiguar a situação, a equipe descobriu que o estabelecimento produzia maionese de forma caseira, que é feita com ovos crus. "Pela visita e pelas denúncias, a Vigilância Sanitária suspeita que as intoxicações foram causadas por bactérias do gênero Salmonella, que infectam cerca de 1% dos ovos de galinha, e causa diarréia, vômitos e febre muito fortes", disse a gerente de vigilância. 

Por não ter nenhum alimento para ser colhido para o laboratório, o estabelecimento sofreu auto de infração. Jeanyne Seba disse ainda que o local já foi denunciado outras vezes e que os proprietários sabiam que era proibido a produção do alimento para comercialização. A Vigilância Criminológica é responsável pela investigação do caso.

A Vigilância Sanitária reforça o alerta para o grande perigo da maionese caseira. Segundo Jeanyne Seba, os estabelecimentos devem optar pelo uso da maionese industrial de forma temperada, que possui menor risco de infecção.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar