Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

68 transplantes foram realizados em 2015 no estado do Piauí

O próximo grupo a ser capacitado iniciará o curso no dia 20 de maio

 68 transplantes foram realizados em 2015 no estado do Piauí
Transplante | Reprodução
Compartilhe

Afinal, as filas de espera são grandes em todo o Brasil e, muitas vezes, o desejo de ajudar o próximo é desconhecido pela família. O consentimento dos familiares é o primeiro passo para que o órgão seja doado e entre na fila de espera. Mas nesse processo, a participação dos profissionais de saúde é fundamental, ao identificarem os potenciais doadores, bem como os procedimentos adequados para um transplante seguro.

Em 2015, foram realizados no Piauí 60 transplantes de córnea e 8 de rins, além da captação de três fígados que foram enviados para outros Estados. Os outros órgãos captados são enviados ao Ceará (fígado e coração), São Paulo (coração e medula óssea) e Rio de Janeiro e Paraná (medula óssea), sendo gerenciado pela Central de Regulação nacional para transplante de órgãos, sediada em Brasília.

Image title

Nesse sistema de doação de órgãos, não só a Central de Transplante de Órgãos da Secretaria de Estado da Saúde tem sua importância. A rede hospitalar em geral e o Instituto Médico Legal devem atuar de forma integradas para garantir que os órgãos cheguem ao receptor em ótimas condições.

Para isso, a Central de Transplante do Piauí está realizando, durante todo o mês de maio, a capacitação de profissionais do Instituto Médico Legal (IML), Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Hospital Getúlio Vargas (HGV), faculdades e da rede hospitalar em geral para a captação de órgãos.

São médicos legistas, enfermeiros e auxiliares de Teresina e outros municípios do Estado. “É um grupo extremamente importante que nós temos para trabalhar. Gostaríamos de mostrar a importância deles dentro desse sistema de doação de órgãos e, com certeza, ter mais adesão nesse processo, porque quanto mais gente trabalhando, mais chances de dar certo. Esse processo é uma corrente e, como tal, deve ser bem estruturada”, disse a coordenadora da Central de Transplantes, Maria de Lourdes Veras.

Maria de Lourdes ressalta ainda a importância do envolvimento de todas as instituições que recebem emergência, como o HUT, do Serviço de Verificação de Óbitos do IML e do Hospital Getúlio Vargas e toda a rede que recebe pacientes que possam ser um potencial doador. “O empenho e competência desses profissionais são fundamentais para salvar muitas vidas, porque o banco de doadores de órgãos não se concentra apenas em Teresina, mas em todo o país, por ser um cadastro nacional”, disse.

O próximo grupo a ser capacitado iniciará o curso no dia 20 de maio, às 18 horas, no HGV. A secretaria pretende, com esse treinamento, chegar à formação de equipes de captação de órgãos nos municípios onde existam atendimento em alta complexidade para transplante de múltiplos órgãos.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar