Tremor causa pânico em Teresina; confira relatos!

O caso foi registrado na manhã desta terça-feira.

Um tremor registrado na manhã desta terça-feira (03/01), assustou moradores de várias zonas de Teresina. Por volta das 09h45, testemunhas relataram correrias dentro de estabelecimentos, ônibus e nas vias da cidade. Dados do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília apontam que o tremor chegou a 4,7 graus na escala Richter e teve início no Maranhão. 

“Estávamos trabalhando quando de repente as mesas começaram a tremer, saímos da sala e tinha muitas pessoas  no corredor, sem saber direito o que estava acontecendo”, relatou um servidor da Secretaria de Administração da Prefeitura de Teresina.

“No meu prédio tremeu muito, as cadeiras balançaram, a cama estava tremendo comigo junto, pensamos que era o prédio caindo”, relatou uma moradora da zona Leste.

A secretária de educação do Piauí, Rejane Dias, afirmou que se assustou com a correria no prédio. “Eu ia chegando no prédio e já estava subindo as escadas quando me deparei com algumas pessoas correndo e pedindo que eu saísse as pressas, eu perguntei o que estava acontecendo e disseram que era um tremor. Não foi só a Secretaria de Educação mas todo o Centro Administrativo, temos a impressão que aconteceu em toda a cidade, estamos aguardando para saber o que fazer”, declarou ela.

O tremor também foi sentido na cidade de São Luís. O abalo durou cerca de 15 segundos. O caso também foi registrado em Fortaleza, Caxias e Timon.

Tremor não compromete estrutura dos prédios de Teresina

O Corpo de Bombeiros fez inspeção, durante a manhã e tarde de terça-feira, nos três prédios do Centro Administrativo, no anexo e no próprio Palácio de Karnak, no prédio do Gabinete Militar e no prédio de sete andares da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar). A medida foi necessário para certificar que os prédios oferecem segurança, após o tremor de terra registrado em Teresina, na manhã de terça-feira.

No Centro Administrativo funciona a maioria das Secretarias Estaduais do Governo, como as da Educação, Saúde, Fazenda e Administração, no bairro São Pedro, na zona Sul de Teresina. O major José Veloso, diretor do Serviço Técnico do Corpo de Bombeiros, afirmou que foi constatado durante a inspeção, feita por nove bombeiros militares, sendo três engenheiros, que nenhum prédio teve sua estrutura avariada ou comprometida em razão do abalo sísmico.

“Em nosso relatório estamos demonstrando que os prédios públicos inspecionados não tiveram sua estrutura comprometida por causa do abalo sísmico. O tremor de terras não teve impacto negativo sobre a estrutura dos prédios do poder público”, falou o major José Veloso, que é engenheiro.

Os bombeiros também estão à disposição para realizar inspeções em prédios privados, caso sejam acionados. A determinação é que isso aconteça, caso sejam percebidos indícios de comprometimento de algum prédio, devido os tremores.


Governo faz reunião e mobiliza Bombeiros e Defesa Civil 

O governador Wellington Dias convocou uma reunião com Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Secretaria de Meio Ambiente (Semar) e demais órgãos competentes, para levantar informações e elaborar um plano de atuação junto à população.

“O objetivo é garantir, em primeiro lugar, a segurança da população e identificar o mais rápido possível as causas desse tremor. Nós já entramos em contato com o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, que é ligado à Secretaria Nacional de Defesa Civil, para nos cercarmos de mais informações. Neste momento, o mais importante é que já tomamos algumas medidas emergenciais, alguns prédios na cidade foram evacuados e não há registros de feridos ou vítimas”, explica Wellington Dias.

Apesar de ser uma situação atípica das ocorrências habituais, o Corpo de Bombeiros garante que as medidas de máxima segurança já foram tomadas. “Em um primeiro momento nós realizamos a evacuação de prédios públicos, em parceria com a própria comunidade, que é uma medida de precaução para que possamos oferecer o máximo de segurança. O Corpo de Bombeiros montou dois postos de atuação, um no Palácio de Karnak, e um outro no Centro Administrativo, para que possamos viabilizar da maneira mais rápida possível as providências cabíveis”, esclarece o comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Piauí, Coronel Carlos Frederico.


Segundo o diretor da Defesa Civil, Vitorino Tavares, é recomendável que proprietários de prédios particulares requisitem uma vistoria de técnicos da Defesa Civil. “A principal recomendação é de os prédios públicos permaneçam esvaziados e os privados busquem um profissional para que analise a estrutura física do seu prédio, bem como solicitar a visita dos técnicos da Defesa Civil”, pontua.



Geólogo não descarta novos tremores

Para o geólogo Sidney Barros, do Ministério de Minas e Energia, não há como precisar se haverão novos abalos, mas existe, sim, a possibilidade. "Não podemos precisar que possa acontecer outro. É precipitado falar sobre isso. O abalo sísmico está ligado ao sistema de falhas terrestres", explica.

"Em princípio é um pequeno abalo sísmico, pois foi sentido não só em Teresina, mas também no Maranhão. Estamos em uma zona de falha muito grande, que atravessa o Brasil do nordeste ao suduoeste, que é o sistema transbrasiliano. Também temos falhas do noroeste para o sudeste, que é o pico Santa Inês, que corta transversalmente o outro sistema de falha. A movimentação de blocos de terra em relação ao outro gera tremores na superfície. Em São Luís sabemos que atingiu 5,0 da escala richter, que vai até 8. Estamos em uma escala média, que não configura grandes danos", acrescenta o geólogo.

Geólogo afirma que tamanho da magnitude é raro no Brasil

O geólogo Lucas Barros, da Universidade de Brasília, afirmou que não é comum um tremor desse nível ocorrer no país. “Em termos de tamanho para o Brasil é um pouco raro,  um terremoto de magnitude 5 no Brasil acontece em 1 a cada 5 anos em média, no estado do Piauí e Maranhão é mais raro ainda. Esse tremor de terra aconteceu de Belágua, no Maranhão, que está a mais de 200km de Teresina e mesmo assim foi sentido na capital”, declarou.

“O terremoto pode acontecer em qualquer lugar em qualquer hora sem mandar nenhum recado, a natureza nos surpreende, o que nós sabemos é que de acordo com os estudos eles acontecem em terrenos na sua grande maioria em função de falhas geológicas que se rompem, quando uma falha se rompe abruptamente ela libera uma onda sísmica e faz o chão tremer, nessa região uma falha se rompeu e essa ruptura gerou ondas que se propagaram pelo interior da terra. Terremotos dessa magnitude podem ser sentidos em uma distância maior de 200km, o que fez com que chegasse em Teresina”, afirmou Lucas Barros.

Segundo ele, por regra, os tremores são sentidos de maneira mais forte em regiões mais próximas do epicentro. “É sentido mais próximo do ponto de ruptura, de onde as ondas sísmicas começaram a se propagar, entretanto isso não é regra geral, por isso foi sentido de maneira forte em algumas regiões de Teresina”, destacou.


Outro tremor foi registrado em 2008

Em 2008, um abalo sísmico de 3,5 graus na escala Richter foi sentido em nove cidades do Piauí. O terremoto foi sentido nos municípios de Teresina, Piracuruca, Piripiri, Pedro II, São João das Fronteiras, Cocal dos Alves, Cocal, Domingos Mourão e Lagoa de São Francisco.

Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Abalo sísmico assusta moradores de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios no Centro de Teresina (Crédito: Reprodução/Whatsapp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)
Funcionários evacuaram os prédios por toda Teresina (Crédito: Reprodução/WhatsApp)

Publicações levam assunto aos trending topics do Twitter

O caso ganhou grande repercussão nas redes sociais. Usuários do Twitter e do Facebook relataram a experiência assustadora que aconteceu neste terceiro dia do ano na capital. Alguns internautas chegaram a brincar com a situação que com as publicações levaram o assunto aos trendings topics nacional e mundial do Twitter.


Assunto gerou trendings topics do Twitter (Crédito: Reprodução)
Assunto gerou trendings topics do Twitter (Crédito: Reprodução)

Usuários relatam experiência no Facebook (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam experiência no Facebook (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam experiência no Facebook (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam experiência no Facebook (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)


Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)


Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)
Usuários relatam tremor no Twitter (Crédito: Reprodução)


Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com