ADH entrega 1.500 casas populares pelo Minha Casa Minha Vida

As ações foram realizadas durante o ano de 2017 em todo Piauí

A Agência de Desenvolvimento Habitacional do Piauí (ADH), faz um balanço das ações realizadas em 2017 e contabiliza as unidades habitacionais entregues na gestão 2015-2017. O destaque foi a entrega de 1.500 casas populares pelo Programa Minha Casa Minha Vida II - Sub 50 para diversos municípios do Piauí, o que proporcionou às famílias de baixa renda o acesso a tão esperada moradia.

Cidades como Nova Santa Rita (40 casas), Pavussu (27 casas) e Manoel Emídio (39 casas) são alguns exemplos. “Assegurar moradia digna para as famílias do nosso Estado, tem sido o grande desafio da nossa gestão”, declara a diretora geral da ADH, Gilvana Gayoso.

Segundo a diretora, o resgate da coordenação das obras do PMCV Sub 50, nos mais diversos municípios, onde o Governo do Estado é o Agente Promotor, fez com que a equipe de técnicos da ADH, tivesse papel importante na celeridade e conclusão dessas obras. “Nesses dois anos, entregamos aproximadamente 2.300 casas através de vários programas habitacionais executados pela Agência de Desenvolvimento Habitacional”, explica a diretora.

Na avaliação de Gilvana Gayoso, a ADH avança nos investimentos para a construção da casa própria para a população e para redução do déficit habitacional no estado. A diretora conta que em 2017, foram construídas moradias ainda nas cidades de Aroazes, Geminiano, Picos, José de Freitas, Curralinhos, União, São Pedro do Piauí, entre outras, resultando em um investimento de mais de R$ 45 milhões.

Ela ressalta que no último mês de julho, o Governo Federal prorrogou a execução do programa Sub50, o que vai permitir ADH realizar a entrega de aproximadamente mil casas em 2018. “Além das unidades já entregues, existem outras em fase se finalização ou de conclusão dos processos burocráticos”, declara a diretora.

Gilvana Gayoso e o prefeito Antonio Rufino da Silva Júnior, do município de Inhuma, assinaram neste mês de dezembro, ordem de serviço para construção de moradias naquela cidade, obras que serão iniciadas logo no início de janeiro do próximo ano.

Também para 2018, foi encaminhado para a Procuradoria Geral do Estado (PGE), o processo que trata do Chamamento Público para contratação de empresas para execução das obras do Residencial Tiradentes, em Teresina. O residencial é composto de 600 apartamentos e será destinado aos policiais militares que ainda não possuem casa própria.

“Outra boa notícia para 2018 é a execução do Programa Melhoria Habitacional em parceria com a Caixa Econômica Federal. Esse programa vai permitir aos teresinenses realizarem pequenas reformas em suas casas como um quarto, um banheiro, um piso. Enfim, coisas que vão trazer mais conforto para a família”, explica Gilvana Gayoso.

Rural
Em relação ao Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), os municípios de Aroazes, Geminiano e Picos foram beneficiados com o programa, que é voltado para o trabalhador rural. O agricultor vai pagar apenas R$ 1.120,00 pela sua moradia, com a vantagem de poder dividir esse valor em quatro parcelas fixas de R$ 280,00.

Segundo o assessor técnico da ADH, João Filho, a Agência construiu também nove casas em José de Freitas, cinco em Curralinhos e quatro em União para as famílias que tiveram suas casas destruídas por incêndios.

“Cada unidade habitacional custou R$ 20 mil e foram construídas em estado de emergência”, afirma o assessor técnico.

No município de São Pedro do Piauí, 117 casas foram beneficiadas com melhoria habitacional através do Programa Carta de Crédito/FGTS, nesta gestão.


Mais obras
A Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH) está construindo duas escolas no Residencial Jacinta Andrade, localizado no bairro Santa Maria da Codipi, zona norte de Teresina. A obra vai beneficiar cerca de 3 mil alunos da capital.

A ADH, também está executando a pavimentação poliédrica de vias públicas das cidades de Cajazeiras, São João do Piauí, São Miguel do Fidalgo e Oeiras (Conjunto Wellington Gonzaga e comunidades Brioma e Malhada Grande).

Em 2018, a Agência de Desenvolvimento Habitacional fará, por meio de licitação, a contratação de empresa de engenharia para execução das obras e serviços de pavimentação poliédrica nos municípios de Aroazes, Barro Duro, Santa Cruz dos Milagres, São Miguel da Baixa Grande e Angical.

Serviço Social
Equipes do Serviço Social da ADH realizaram, ao longo do ano, um trabalho educativo com os mutuários dos conjuntos habitacionais construídos pela Agência de Desenvolvimento Habitacional. Foram várias as ações voltadas para essas pessoas, em especial, a mulher.

Para Gilvana Gayoso, que é também assistente social, profissionalizar e dar dignidade ao trabalho das mulheres tem sido também um dos objetivos da ADH. "O primeiro passo foi a realização de cursos profissionalizantes nos empreendimentos construídos pela Agência de Desenvolvimento Habitacional. A iniciativa do Serviço Social da ADH qualificou dezenas de mutuarias e esse trabalho terá continuidade em 2018”, afirma a diretora.

Foram realizadas oficinas na área de empreendedorismo, cursos profissionalizantes, Encontro de Integração de Moradores, Workshop, palestras educativas e distribuição de filtros nos empreendimentos: Jacinta Andrade, Parque Brasil, Nova Teresina, Paulo de Tarso e Vila Irmã Dulce.

De acordo com a gerente de Serviço Social, Clara Said, a realização dessas ações só foi possível devido a parceria ADH e outros  órgãos como Fundação Wall Ferraz, Fundação Municipal de Saúde e entidades não governamentais como Senac, Senai, Sebrae e Fiepi.

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com