Adolescentes eram usados como “ingressos” em festas de pedófilos

O menor recebia presentes para participar das festas

Uma rede de pedófilos promovia festas e exigia adolescentes como “ingressos” dos convidados. De acordo com uma denúncia do Ministério Público de Birigui, cidade do interior de São Paulo, os participantes deveriam levar, pelo menos, três menores de idade para os encontros. Os eventos ocorriam em casas e chácaras da região.

O primeiro caso investigado foi o de um menino de 13 anos, que contou ter sido assediado quando tinha 10 anos. O menor recebia presentes para participar das festas. “Ele dava dinheiro, boné, óculos, já me deu um celular, me levava para o motel de Buritama”, afirmou.

"A mãe do garoto, que preferiu não se identificar, disse que o assediador se aproximou da família e fez amizade com os amigos do filho. “Ele começou a ir em casa, parecia uma pessoa boa. Muito bonzinho mesmo, mas jamais eu achava que ele tinha coragem de fazer uma coisa dessa”, disse.

Ela descobriu os abusos após o alerta de uma amiga. A desconfiança surgiu por causa dos presentes caros que o menino ganhava. Após um ano de investigação, o MP identificou uma rede de pedófilos. Os alvos eram crianças de 10 a 17 anos, recrutadas, em grande parte, pelas redes sociais. Em conversas obtidas pela Justiça, os suspeitos conversam sobre métodos de aproximação e locais onde se encontrariam com os menores.

Até o momento ao menos cinco pessoas foram presas acusadas de pedofilia, estupro e corrupção de menores. Outras três respondem ao processo em liberdade apontadas como integrantes da organização. Um dos homens que está preso confessou que pagava para fazer sexo com os adolescentes. Os acusados também respondem por associação criminosa e aliciamento de menores.

Image title

Fonte: Com informações do Metropoles
logomarca do portal meionorte..com