Águas de Teresina amplia equipes para conter vazamentos

Em 2018, serão investidos R$ 22 milhões em gestão de perdas.

A Águas de Teresina ampliou em 30% o número de equipes que trabalham na manutenção das redes de abastecimento de água e esgotamento sanitário. O número de serviços solicitados apresentou uma crescente desde a assunção da empresa. O aumento de novembro em relação ao mês de julho foi de 125%, o que reforça a necessidade de ampliar o número de equipes para acompanhar as demandas.

Entre os serviços que mais se destacam está a correção de vazamentos. De julho a novembro, foram mais de 19 mil reparos na rede de distribuição de água. A concessionária tem atendido as demandas que chegam via canais de atendimento e também trabalhado de forma proativa para identificar os locais onde há vazamento.

 “Mensalmente, são realizados cerca de 4.500 reparos na cidade. Esses números têm aumentado progressivamente com o aumento da pressão nas redes de distribuição, já que elevamos a disponibilidade de água para atender áreas críticas que há anos vinham sofrendo com abastecimento irregular. Nosso esforço inicial foi garantir um B-R-O Bró melhor do que nos anos anteriores. A partir de agora focaremos também na gestão de perdas, que entre outras ações, envolve as manutenções na rede, o que nos fez ampliar o número de equipes”, destaca Diogo Mochão, gerente de Serviços.

Um exemplo do efeito que acontece quando as redes começam a receber mais água ocorreu após a ampliação e modernização do sistema que abastece os bairros na região da Grande Santa Maria da Codipi. Lá, foram deslocadas quatro equipes somente para identificar os vazamentos e fazer os reparos. Em um mês, foram executados mais de 500 reparos em redes e ramais, um esforço para manter a plena distribuição de água tratada.

Além da força-tarefa para o reparo dos vazamentos visíveis, a Águas de Teresina tem trabalhado de forma proativa para identificar os vazamentos que não afloram no asfalto, trabalho este feito pelas equipes por meio do geofone eletrônico. A identificação se dá a partir de sensores de solo sensíveis ao som da água e que são acoplados ao equipamento. Quanto maior a intensidade desse som, mais próximo o vazamento pode estar.

Combater as perdas de água tratada tem sido um desafio encarado com bastante atenção pela Águas de Teresina. Dentro desse planejamento, a concessionária providenciou a instalação de  Pontos de Controle de Pressão (PCPs), além de ventosas na rede, equipamentos cuja finalidade é garantir a distribuição de água na rede de forma otimizada, evitando o desperdício. Em 2018, serão investidos aproximadamente R$ 22 milhões nas ações que integram o planejamento para controle de perdas.

Pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, o índice de perda de água tratada em Teresina é de 53,75%, superando a média nacional, que é de 36,7%. No entanto, a concessionária estima que esse número chega a 63% e pretende, até agosto do próximo ano, reduzir para 51%.

“Temos a nosso favor a tecnologia e equipes capacitadas periodicamente para fazermos o monitoramento da água em tempo real, desde a saída da estação de tratamento até o usuário, através do Centro de Controle Operacional (CCO). É essa gestão permanente que contribui para identificar vazamentos e possibilitar consertos no menor tempo possível, otimizando processos e recursos”, destaca Mochão.

A concessionária reforça que a participação da população tem sido importante na localização dos vazamentos em vias públicas, informações que têm chegado via 0800 223 2000; 115; Whatsapp (98124 3199); como também pelas redes sociais.

Fonte: Ascom
logomarca do portal meionorte..com