O período chuvoso, a falta de saneamento adequado e alguns hábitos de falta de higiene são alguns dos fatores que contribuem, decisivamente, para a proliferação de doenças. Mas as chuvas são, no momento, as causadoras do aumento de moscas, que favorecem, principalmente, as diarreias, que se não cuidadas, podem levar a pessoa à desidratação.

"Nós não temos um saneamento básico adequado, não só aqui na capital e no Estado, mas no Brasil como um todo. Além disso, este é o período em que as moscas causam a maior propagação de infecções", disse o clínico e diretor de emergência de um hospital, Ricardo Andrade, em entrevista ao Programa 'Fogo Cruzado', na Rádio Jornal Meio Norte.

O médico explicou que a virose é transmitida para as pessoas, porque as moscas tendem a pousar em alimentos estragados, fezes de animais e depois elas pousam na nossa comida e também coloca os ovos nas águas, e isso tende a propagar. "A mosca é o principal propagador das viroses nesse período do ano, e as principais viroses causadas pela mosca são as gastrointestinais. Temos o Aedes aegypti que transmitem também algumas infecções sazonais, que a gente já conhece, como a dengue a Zika. O rotavírus é um dos principais vírus que causam infecções intestinais, principalmente na criança, assim como algumas bactérias", complementou.

Alerta: Moscas são principais propagadoras de infecções - Imagem 1

Em relação aos sintomas, o especialista diz que as pessoas têm que ter em mente que a diarreia é autolimitada. Ou seja, não é porque as fezes começaram a amolecer, que a pessoa precise buscar um hospital. A maioria das infecções duram de 2 a 7 dias e as pessoas precisam procurar o auxílio médico quando existir um quadro de uma febre muito alta, uma dor de barriga muito forte ou fezes com sangramento.

Segundo ele, uma criança com menos dois anos e que não consegue tomar água, amamentar ou não pega bem no peito, são situações que apresentam risco e nesses casos é fundamental buscar ajuda médica em um centro de saúde. Os serviços de saúde oferecidos vão depender de onde a pessoa esteja. O médico citou as UPAS (Unidades de Pronto Atendimento), como sendo locais com total condição de atender o paciente nesses casos.

"Principalmente porque, na maioria das vezes, o tratamento é só hidratação, e a principal complicação de uma diarreia é a desidratação. Os serviços de saúde privados também têm condições de receber o paciente com esse quadro', diz ele.

retranca//Hidratação é essencial

Beber água é a melhor forma de hidratar o paciente até que o atendimento médico seja feito. E a pessoa pode fazer o soro em casa com duas colherinhas de açúcar e uma pitada de sal para um litro de água.

"As unidades de saúde dão o soro de reidratação oral, é só a pessoa pedir. Além da água, tomar suco à vontade. A gente dá preferência para que um terço do líquido a ser ingerido seja de água ou o soro de reidratação. O restante a pessoa pode fazer chá e suco", recomenda Ricardo Andrade.

Ele diz ainda que algumas infecções podem provocar um período transitório, chamado de intolerância à lactose, e que nesse período é recomendado que a pessoa evite leite e iogurtes.

"Agora, se a pessoa faz todas essas medidas e melhora, não precisa buscar centros médicos. Mas se faz tudo e o quadro permanece, então é hora de buscar ajuda", observa. (L.M.)