Apesar de não haver previsão de novo tremor, autoridades alertam

Não foram identificados prédios com danos estruturais.

Após o tremor de terra de magnitude 4,7 na escala Richter registrado em Teresina na  manhã de terça-feira, dia 03, o Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Piauí,  divulgou balanço das operações de vistoria técnica. Apesar do susto, não foram identificados prédios com danos estruturais causados pelo tremor.

As diligências de segurança nos prédios deverão ser concluídas ainda nesta quarta-feira (04). “A nossa conclusão será tranquilizar as pessoas quanto às condições de segurança dos prédios. Hoje, queremos encerrar todas as vistoriais. A orientação é evitar situação de pânico”, afirmou o major José Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros,

Reunião após tremor assustar população em Teresina (Crédito: Divulgação)
Reunião após tremor assustar população em Teresina (Crédito: Divulgação)

Apesar das informações técnicas apontarem para a não reincidência de tremores, o Corpo de Bombeiros reforça a necessidade de calma e seguridade. “Existe um limite muito tênue entre você sair rápido e sair em desespero. Porque sair rápido é uma questão de segurança. Agora quando se percebe que há certo pânico, certo tumulto ou correria isso pode causar, para alguma pessoa que venha a cair, um efeito dominó, podendo acabar com a queda e o atropelo de outras pessoas”, alerta. 

O comportamento da população foi positivo considerando as possibilidades de acidentes e a falta de conhecimento. “A população, apesar de não termos histórico de terremotos no nosso estado, teve um bom comportamento. Gerou-se certo desconforto inicialmente, algumas pessoas por pouco não entraram em pânico, mas a avaliação foi positiva. Não houve casos de acidentes ou de pessoas tendo que ser atendidas por ambulâncias”, acrescentou. 

Prudência e calma

Para os Bombeiros, a prudência e a calma razoáveis da população que sentiu o abalo garantiu a segurança e a não ocorrência de vítimas e danos materiais. A corporação alerta que o estado de pânico e o tumulto são perigosos e podem gerar acidentes e vítimas fatais.

“A condição, se houver a necessidade, e em qualquer situação de evacuação de um prédio, quer seja numa situação dessa de terremoto quer seja numa situação e incêndio ou de um evento adverso, é de estar ciente, de fazer as coisas de maneira consciente e controlada. Quem estiver no prédio deve se direcionar à saída o mais rápido e com a maior calma possível para evitar a correria. Não é aconselhável, por exemplo, querer ultrapassar uma outra pessoa no meio de uma escada, isso pode gerar desequilíbrio e queda”, informou Veloso.

Fonte: Portal Meio Norte/Com informações do Portal do Governo
logomarca do portal meionorte..com