Após atraso, corpos chegam em Chapecó para velório na Arena

A primeira aterrissou em Chapecó às 09h28 para cerimônia.

Atualizado às 11h15

As famílias das 50 vítimas que serão veladas neste sábado na Arena Condá, em Chapecó, já começaram a se posicionar no lugar reservado a elas. Ao deixar o toldo onde se protegia da chuva, dona Ilaídes se surpreendeu ao ouvir o nome de seu filho, o goleiro Danilo, cantado por todo o estádio.

Ilaídes deu uma volta pelo gramado e agradeceu a cada um dos torcedores, debaixo de muita chuva. Um dia antes, a mãe do ídolo, um dos 71 mortos no acidente, consolou jornalistas que também perderam colegas na tragédia – ela emocionou os brasileiros ao confortar repórter do SporTV no ar.

Atualizado às 11h

Carretas vão passando pela cidade e são recebidas por muitas pessoas. A chuva atrapalhou, mas não espantou os moradores de Chapecó, que aplaudem, cantam e choram. Reações são diversas durante a passagem dos caixões. 

Image title

Atualizado às 10h40

Tite, treinador da Seleção, chega até Chapecó e deixa mensagem para familiares. "Quero poder, na medida do possível, amenizar um pouquinho o sofrimento e encorajá-los. É o mínimo que eu posso fazer", disse.

Atualizado às 10h30

Jornalistas mortos em voo são homenageados em velório

Uma missa em homenagem aos cinco profissionais da RBS mortos no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense ocorreu na Catedral Metropolitana de Florianópolis na manhã deste sábado (3). Em seguida, as vítimas seguem para velório individuais.

No acidente na madrugada de terça-feira (29), faleceram André Luiz Podiacki, Bruno Mauri da Silva, Djalma Araújo Neto, Giovane Klein Victória e Laion Machado de Espíndula.

O avião que trouxe as vítimas chegou no Aeroporto Hercílio Luz, na capital catarinense, às 7h. Em seguida, os caixões foram levados para a Catedral, no Centro.


Após atraso, corpos chegam em Chapecó para velório na Arena

A primeira aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) que transportam os corpos das vítimas do acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense chegou a Chapecó na manhã deste sábado, por volta das 09h28. A segunda aeronave pousou exatos 15 minutos depois. Parentes das vítimas estão no local para receber os corpos e também receberem homenagens do presidente Michel Temer. 

Muito emocionados, eles se abraçam e choram bastante na espera do término do desembarque dos caixões. O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, foi o primeiro a desembarcar do avião e abraçou conhecidos. 

Na sequência, seguem para o velório coletivo que será realizado na Arena Condá. Foram mais de 14 horas desde a saída de Medellín na noite de sexta-feira - houve atraso de cerca de duas horas em relação ao previsto inicialmente pela FAB durante escala em Manaus para abastecimento e desembaraço alfandegário. Ao todo, são 50 caixões transportados.

São 19 atletas mortos, mais o técnico Caio Júnior, seis jornalistas e outros 24 corpos de funcionários, diretoria e convidados do clube. Apenas três jogadores sobreviveram: o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel e o goleiro Jackson Follmann. O trio está no Hospital San Vicente: Neto está clinicamente bem e apresenta boas perspectivas de melhora; Ruschel foi submetido à cirurgia na coluna vertebral, está com movimentos normais em membros superiores e inferiores e inspira cuidados, apesar da evolução; e Follmann tem o estado mais grave, pois teve uma das pernas amputadas e segue entubado, ainda assim seu quadro é estável.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução)
Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução)
Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução )
Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução )
Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução )
Vítimas chegam em Chapecó (Crédito: Reprodução )


Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com