Após defender filho de ataques de homofobia, mãe é ameaçada na web

Ela defendeu a liberdade do filho nas redes sociais e foi ameaçada

A pedagoga Jaque Conceição, mãe de dois filhos, resolveu fazer um desabafo nas redes sociais logo após ver ser filho ser chamado de "veadinho" e recebeu ameaças de internautas.

Ela conta que viu seu filho de 7 anos chegar em casa chorando após um grupo de pré-adolescentes o atacarem chamando-o de "veadinho". Depois disso, a pedagogoa e mestre em educação, fez um texto em suas redes sociais contando o que aconteceu e de como ela apoia o seu filho.

Jaque Conceição sofreu ataques na redes sociais (Crédito: Arquivo pessoal)
Jaque Conceição sofreu ataques na redes sociais (Crédito: Reprodução)

“Cada dia que passa, fica nítido para mim que a orientação sexual dele se aproxima da homossexualidade. Ele me pediu para furar a orelha e gosta de pintar as unhas. Tenho medos inacreditáveis, por causa da homofobia, mas vou brigar com meu filho pelo direito dele ser quem quiser", relata.


Devido o seu post, Jaque recebeu alguns elogios, mas também foi atacada por pessoas que nem a conhecia. "O pior foi no Twitter. Ameaçaram estuprar a mim e ao meu filho", contou.

O texto da pedagoga chegou a ser compartilhado no Facebook em páginas de apoio a políticos de extrema direita e, então, Jaque se deparaou com muitos xingamentos. 

O post tinha muitos comentários com ofensas gratuitas e demonstrações de homofobia e violência tendo inclusive um inernauta dizendo que mãe e fiho deveriam lebar tiros.

A educadora revela que já fez prints dos ataques, das ameaças e injúrias, conseguiu derrubar a página com as ofensas do ar e está estudando como proceder legalmente. Jaque conta que mudou o nível de privacidade de sua publicação permitindo que somente amigos consigam ver sua publicação.


Fonte: Uol
logomarca do portal meionorte..com