O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo, informa que está em trâmite o processo acerca da proposta de registro da Arte Santeira em Madeira no Piauí como Patrimônio Cultural do Brasil. 

A sociedade poderá manifestar-se sobre o assunto até o dia 5 de novembro de 2022. As manifestações devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected] ou enviando correspondência para o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural - Presidente, no endereço SEPS 702/902 Sul, Bloco B, Centro Empresarial Brasília, 50, Torre Iphan Asa Sul – Brasília – Distrito Federal – CEP: 70.390-135.

Arte santeira possui significados de memória e história (Francisco Moreira / Iphan)Arte santeira possui significados de memória e história (Francisco Moreira / Iphan)

Sobre o bem

A Arte Santeira é uma manifestação plástica que utiliza a madeira como matéria-prima, com atributos artísticos e culturais presentes na talha de esculturas, oratórios, painéis e peças de mobiliário. Resulta de um fenômeno sociocultural que ocorreu no estado do Piauí na década de 1970. Tal forma de expressão ganhou destaque por intermédio de iniciativas eclesiásticas, governamentais e do mercado de arte, que passou a nutrir um interesse por artefatos de origem popular, incentivando os santeiros de Teresina, de Parnaíba, de Campo Maior, de Pedro II e de José de Freitas, principais locais de produção. Em Teresina (PI), por exemplo, a Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Vermelha, apresenta rica decoração feita por santeiros, em especial Mestre Dezinho. 

Nos anjos, nos santos e nos “caboclos” talhados pelos santeiros piauienses, são reconhecíveis algumas semelhanças morfológicas, como a estrutura maciça e vertical das esculturas. Outro aspecto comumente encontrado nas peças é a estilização das formas e o predominante acabamento monocromático delas.

Não há, no entanto, uma padronização da produção e cada santeiro define um estilo próprio. O entalhe de personagens sagradas e profanas carrega referenciais visuais ligados ao agreste piauiense, tendo carnaúbas, bacuraus, mandacarus e outros elementos da fauna e flora como motivos decorativos. 

A Arte Santeira em Madeira no Piauí possui significados de memória e história para a população piauiense, contribuindo também para a expressiva diversidade cultural brasileira. Os santeiros piauienses reivindicam sua singularidade artística, a marca individual embutida em cada uma das peças, que jamais se repetem. Não se trata de uma arte ligada a processos de reprodutibilidade técnica, mas de uma produção com especificidades estilísticas apreciadas por um público de dentro e de fora do estado do Piauí.

Desse modo, a instrução técnica do processo que propõe o registro da manifestação como Patrimônio Cultural do Brasil contém elementos que motivaram a emissão de parecer favorável à inscrição do bem no Livro de Registro das Formas de Expressão. (Fonte Iphan)