Camilla Abreu: Denúncia é aceita e capitão Alisson vira réu

Alisson Wattson está preso desde o dia 31 de outubro

O capitão da Polícia Militar Alisson Wattson da Silva Nascimento virou réu pelo assassinato da namorada, a estudante de direito Camilla Abreu. Na terça-feira (12), a juíza Maria Zilnar Coutinho Leal aceitou a denúncia do Ministério Público Estadual, através da 13ª Promotoria Criminal. 

O capitão irá responder pelo crime de feminicídio qualificado por motivo fútil (ciúmes da vítima) e recurso que impossibilitou defesa por parte da  mesma; ocultação de cadáver e fraude processual, já que tentou atrapalhar as investigações. Além disso, o oficial responde a um processo administrativo. 

Alisson Wattson está preso desde o dia 31 de outubro. Primeiro foi expedido mandado de prisão temporária que logo em seguida foi convertida em prisão preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. O capitão agora aguarda decisão da magistrada. 

Capitão da Polícia Militar Alisson Wattson da Silva Nascimento  (Crédito: Reprodução)
Capitão da Polícia Militar Alisson Wattson da Silva Nascimento (Crédito: Reprodução)

O inquérito policial foi presidido pelo coordenador da Delegacia e Homicídios, Francisco costa, o Baretta. Após análise de laudos periciais, depoimentos de testemunhas, inclusive do próprio acusado, além de outros procedimentos de investigação, o inquérito apontou para materialidade do homicídio doloso praticado pelo Capitão namorado da vítima, que foi indiciado pelos três crimes. 

Estudante de direito Camilla Abreu (Crédito: Reprodução)
Estudante de direito Camilla Abreu (Crédito: Reprodução)

Os laudos mostram que Camilla Abreu foi morta com tiro nas costas e que tentou correr do namorado após perceber que seria morta.  Os exames feitos pelo Instituto Médico Legal (IML), mostraram que Camilla Abreu sofreu antes de morrer e que foi espancada e seu corpo achado na zona rural de Teresina cinco dias após sua morte.

A estudante de direito teve luta corporal com o namorado na tentativa de sobreviver. O laudo do IML comprovou que Camilla Abreu tentou se defender. Em suas unhas foram encontrados vestígios de DNA do namorado, o que comprovou luta corporal entre os dois.

A versão dada pelo Capitão é de que o tiro foi acidental. Mas para a polícia todas as provas comprovaram crime com premeditação. 

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com