Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Caso Ronaldinho: empresária pagou U$ 18 mil por documentos falsos

Tanto o mecânico quanto o auxiliar de contabilidade estão presos sob a acusação de associação criminosa e uso de documentos públicos com conteúdo falso.

Compartilhe

Mais um capítulo foi revelado no caso onde Ronaldinho Gaúcho foi preso no Paraguai. Um mecânico e um auxiliar de contabilidade afirmaram em depoimento à Polícia paraguaia que teriam feito os pedidos de confecção dos documentos falsos para R10, Assis e para o empresário Wilmondes Sousa Lira. Eles ainda declaram que pagaram U$ 18 mil (cerca de R$ 85,2 mil, segundo a cotação atual) pelos documentos falsos. A informação é do UOL.

Detido em Assunção desde o dia 6 de março, o Ronaldinho teve um pedido de prisão domiciliar negado pela Justiça. De acordo com as falas ao Ministério Público, o mecânico Iván Ocampo e o contábil Sebastián Medina teriam dado dinheiro para o funcionário do Departamento de Imigrações, Bernardo Arellano.  Ao todo, foram U$ 6 mil pela cédula de identidade e passaporte de cada pessoa, ato ilegal no país.

Reprodução/ Twitter

Veja também

ver mais de "Ronaldinho"

"Meus clientes declararam que a senhora Dalila López viabilizou o dinheiro para esse pagamento. No meu entendimento, a cobrança foi ilegal", contou Gerardo Chamorro, advogado dos dois responsáveis por cuidar da papelada. O representante legal ainda declarou que ambos acreditaram se tratar de um negócio legal.

Segundo o advogado da empresária Dalia López, que está foragida e foi responsável por levar R10 ao país, a informação procede. Contudo, ele afirmou que o pagamento teria sido feito à pedido da esposa do empresário Lira, o que foi negado pelo representante da mulher.

Tanto o mecânico quanto o auxiliar de contabilidade estão presos sob a acusação de associação criminosa e uso de documentos públicos com conteúdo falso. Ronaldinho e Assis seguem na penitenciária por ordem da Justiça.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar