Cerca de 30 mil pessoas aderiram à greve em Teresina na sexta-feira

Os manifestantes pediram anulação imediata das reformas.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento Frente Brasil Popular calcularam que 45 mil trabalhadores paralisaram suas atividades em todo o Piauí na sexta-feira, dia 28, sendo que em Teresina foram cerca de 30 mil. A greve geral é contra as reformas da Previdência e Trabalhistas, propostas pelo governo do presidente Michel Temer.

Na capital, professores, servidores públicos municipais, trabalhadores da construção civil, motoristas e cobradores de ônibus. bancários, comerciários, servidores e professores da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), pessoal de saúde e funcionários públicos, aderiram em massa ao movimento.

Manifestante exibe cartaz durante protesto no Centro de Teresina (Crédito: Efrém Ribeiro)
Manifestante exibe cartaz durante protesto no Centro de Teresina (Crédito: Efrém Ribeiro)

Serviços do judiciário foram afetados e muita gente se sentiu prejudicada. Os ônibus foram recolhidos e a volta para casa foi repleta de transtornos para os teresinenses. Aproximadamente 200 mil pessoas dependem de transporte público em Teresina. 

Lojas do Centro chegaram a abrir, mas fecharam por volta das 10h da manhã. Os manifestantes foram até os estabelecimentos e impediram os funcionários de entrar. A ação dos manifestantes foi monitorada pela Polícia Militar que acompanhou os protestos ao longo do dia.

A Av. Frei Sarafim chegou a ser interditada devido às manifestações, causando congestionamento, mas foi liberada logo depois. A polícia estima que a interdição tenha durado cerca de 40 minutos. 

Manifestação no Centro de Teresina (Crédito: Efrém Ribeiro)
Manifestação no Centro de Teresina (Crédito: Efrém Ribeiro)

Os manifestantes se concentram na praça da Liberdade, Centro de Teresina, onde pediam a anulação imediata das reformas.  Logo pela manhã, os manifestantes se concentraram na praça Rio Branco e saíram em caminhada passando pela Prefeitura de Teresina, Palácio do Karnak e a sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). A passeata encerrou na praça da Liberdade, em frente ao Instituto Federal do Piauí (IFPI).

Os funcionários dos Correios iniciaram greve, por tempo indeterminado, na manhã de quinta-feira (27). Os funcionários dos Correios pararam as viaturas de distribuição e ficaram na frente do prédio da empresa no bairro Monte Castelo.

Manifestantes bloquearam a Ponte Juscelino Kubtischek de Teresina, por volta das 10h da manhã em apoio à Greve Geral. O bloqueio durou pouco mais de cinco minutos, pois logo a Polícia Militar do Piauí foi acionada e liberou a pista.



Fonte: Portal Meio Norte