Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Chile: Família de brasileiros mortos viajou para aniversário da filha

Bombeiros chilenos suspeitam que um vazamento de gás tenha causado as mortes

Compartilhe
Google Whatsapp

A identidade dos seis brasileiros encontrados mortos em um apartamento em Santiago, no Chile, nesta quarta-feira (22), foi informada por uma parente da família nesta quinta-feira. Cinco das vítimas eram catarinenses e uma, goiana, informou o site G1.  

Bombeiros chilenos suspeitam que um vazamento de gás tenha causado as mortes. O prédio, que fica no Centro da capital chilena, foi esvaziado durante as operações.

De acordo com a Polícia Civil de Santa Catarina, a família estava em Santiago para comemorar o aniversário de um dos filhos, Caroline Nascimento de Souza, que completaria 15 anos na sexta-feira. Uma das vítimas também estava de férias.

Vítimas

Um casal e os dois filhos adolescentes moravam no Balneário de São Miguel em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O governo do estado publicou uma nota de pesar e a prefeitura decretou luto oficial por três dias. O segundo casal, formado pelo irmão e a cunhada da mãe da primeira família, residia em Hortolândia, no interior de São Paulo, desde 2016.

-Fabiano de Souza, 41 anos (Pai dos adolescentes e marido de Débora. Ele trabalhava como pedreiro e pescador)

-Débora Muniz Nascimento de Souza, 38 anos (Mãe dos adolescentes e mulher de Fabiano. Ela trabalhava como coordenadora pedagógica em uma creche no bairro Estreito, em Florianópolis)

-Karoliny Nascimento de Souza, 14 anos (Filha de Fabiano e Débora. Ela completaria 15 anos nesta semana e estudava no 1º ano do ensino médio, em Florianópolis)

-Felipe Nascimento de Souza, 13 anos (Filho de Fabiano e Débora. Ele estudava no 9º ano do ensino fundamental, em Biguaçu)

-Jonathas Nascimento, 30 anos (Catarinense, irmão de Débora e marido de Adriane, que residia em Hortolândia. Ele era chefe do Departamento Pessoal do Instituto Adventista de Tecnologia e estava de férias)

-Adriane Kruger (Goiana, mulher de Jonathas e morava em Hortolândia. Era formada em engenharia civil)

As primeiras informações foram repassadas por Noemi Fortunato Nascimento, prima de Jonathas e Débora. Ela também disse que parte da família de Santa Catarina busca doação de recursos para a viagem.

"O irmão da Drica [Adriane Kruger] está indo hoje para lá. Por enquanto, ainda não sabemos como será o traslado, estamos aguardando por mais informações", explica a prima.

Ainda de acordo com a prima Noemi, a família também está recebendo informações do caso por meio de amigos de trabalho de Jonathas, que moram em São Paulo e estão em contato com a polícia chilena.

@cbsantiago/Reprodução/Twitter  


Mãe de vítimas morreu horas antes

Pouco antes da morte da família, a mãe de duas das vítimas morreu em Santa Catarina. Parentes que estavam no Brasil chegaram a comunicá-los por telefone sobre a morte dela, mas perdeu o contato com o grupo logo em seguida.

Iete Isabel Muniz Nascimento morreu de câncer, segundo os familiares. Ela foi velada e cremada nesta manhã em Palhoça, na Grande Florianópolis.

O advogado da família catarinense, Mirivaldo Aquino de Campos, também confirmou a identidade das vítimas. "Vamos primeiro enterrar a mãe depois vamos ver o que fazer", disse o advogado da família catarinense.

Mortes no Chile

Segundo o Itamaraty, um diplomata do Consulado do Brasil em Santiago foi alertado por um delegado brasileiro do incidente com a família. O delegado teria sido avisado no Brasil por parentes das vítimas. A imprensa chilena informou que o diplomata foi o responsável por acionar a polícia.

O comandante da polícia chilena, Rodrigo Soto, disse ao jornal "El Mercurio" que os policiais encontraram um forte cheiro do gás quando entraram no apartamento. Bombeiros ainda fazem perícia para comprovar o vazamento. Eles trabalham com 3 hipóteses: pode ter vazado do aquecedor de água, do aquecedor geral ou do gás de cozinha.

O edifício onde ocorreram as mortes fica na esquina das ruas Santo Domingo e Mosqueto, na região conhecida como Bellas Artes, Centro de Santiago. As autoridades ainda não sabem o que causou o vazamento, nem por quanto tempo as vítimas respiraram o gás.

Ao todo, 25 bombeiros chilenos participaram da ocorrência e o prédio foi todo evacuado durante o atendimento. Pelas condições que foram encontrados os corpos, se presume que a intoxicação aconteceu muito tempo antes informou o comandante do Corpo de Bombeiros de Santiago, Diego Velasquez.

A família estava no apartamento desde domingo (19) alugado pela Airbnb. “Estamos profundamente consternados com este trágico incidente. Nós nos solidarizamos com os familiares e estamos em contato para prestar todo apoio necessário aos familiares neste momento difícil. A segurança de nossa comunidade de viajantes e anfitriões é a nossa total prioridade”, informou por meio de nota. A companhia também informou que está em contato com a família para providenciar o traslado dos corpos para o Brasil.

Daniel Souza, que é irmão de Fabiano, chegou a tentar ligar, mas não conseguiu contato. “Era um baita de um irmão. Não desejo nem para um inimigo. Uma tristeza muito grande, perder a família toda não é fácil. A última vez que falei pessoalmente com ele foi no dia que levei no aeroporto, depois pelo Whatsapp. Estava mandando fotos da viagem. Ontem eu tentei ligar para ele e não consegui. Tocava, mas não atendia”, disse.

Uma amiga das vítimas e fotógrafa Amanda Silva Rosa também contou sobre o momento em que Débora entrou em contato com a família na Grande Florianópolis. “A Débora entrou em contato com a família e foi a última a falecer. Mas ela viu todos morrerem. Ela achou que eles estavam tendo uma crise convulsiva. O pequeno de 13 anos, ele estava totalmente roxo. Ele conseguiu mandar foto do marido. Mas, a gente deletou porque foi muito forte”, disse a amiga.

Um guia de turismo chileno, Marcelo Midolo, que trabalha com turistas do Sul do Brasil, mas que não prestou serviço para esta família, enviou um áudio para a NSC TV. Ele explicou que uma agência de turismo brasileira o procurou para que ele ajudasse encontrar o grupo que estava passando mal, em Santiago.

"Eu tentei ajudar, estava trabalhando, voltando de Viña del Mar e Valparaíso. Avisei a polícia chilena para que investigasse, para saber o que estava acontecendo. Ao chegar lá os bombeiros já estavam no local e perceberam que todos já haviam falecido. [...] É muito lamentável, eu trabalho com muitos brasileiros e tenho muitos amigos brasileiros, é lamentável tudo que aconteceu, e para todo o turismo chileno o que aconteceu é lamentável, lamentamos muito. Mas tentamos ajudar o máximo possível", disse.

Luto

O governo do estado divulgou uma nota de pesar e informou que se solidariza com familiares e amigos. Além disso, disse que acompanha a investigação das circunstâncias das mortes pelas autoridades chilenas.

A Prefeitura de Biguaçu também também prestou solidariedade e decretou luto oficial por três dias. "A Prefeitura de Biguaçu está, neste momento, em contato com autoridades estaduais e federais para tratar de questões como o traslado dos corpos e local para realização do velório coletivo", informou.

O Instituto Adventista de Tecnologia (IATec), por meio de nota, lamentou profundamente a morte do funcionário Jonathas. Ele era chefe do Departamento Pessoal e trabalhava na entidade há 3 anos e meio. "O IATec acompanha as informações e desdobramentos do assunto por meio das autoridades do Chile. [...] O colaborador estava em período de férias. [...] O IATec está oferecendo todo apoio aos familiares neste momento difícil e de profundo pesar".

A Secretaria de Estado da Educação (SED), onde os adolescentes estudavam lamentou as mortes. Karoliny cursava o 1º ano do Ensino Médio na Escola de Educação Básica Aderbal Ramos da Silva, em Florianópolis, e Felipe era aluno do 9º ano do Ensino Fundamental na Escola de Educação Básica Professor José Brasílicio, em Biguaçu.

A Escola de Educação Básica Professor José Basílico (EEB), que fica no Centro de Biguaçu, na Grande Florianópolis, lamentou a morte dos irmãos pelas redes sociais. Karoliny havia concluído os estudos na unidade de ensino no ano passado e Felipe se formaria este ano na unidade de ensino. A diretora da escola, Grasiela Monteiro Epping, que também é professora de inglês, disse que deu aula para eles desde a creche e que eram alunos excepcionais.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×