Uma pessoa morreu por causa do temporal que atingiu a Região Metropolitana do Rio de Janeiro na noite de sexta-feira (1). O Corpo de Bombeiros confirmou a morte de um homem, sem identificação, aparentando cerca de 35 anos, em Mesquita, na Baixada Fluiminense.

De acordo com a Defesa Civil, a morte teria sido causada por uma descarga elétrica no centro do município. Outras cidades da Baixada Fluminense também registraram alagamentos. A Prefeitura de Nova Iguaçu afirmou que a cidade registrou 141 mm de chuva no bairro Moquetá, o que equivale a 148% da média de chuva do mês de abril. As duas cidades estão em alerta máximo por causa dos temporais.

Temporal no Rio de Janeiro (Foto: reprodução)Temporal no Rio de Janeiro (Foto: reprodução)

Rio de Janeiro

A cidade do Rio entrou em estágio de atenção às 23h45 de sexta, devido a ocorrências relacionadas às chuvas. Ao todo, 57 sirenes foram acionadas em 31 comunidades, segundo o Centro de Operações Rio (COR). O município voltou ao estágio de mobilização, o segundo nível de uma escala de cinco, às 4h40 deste sábado (2), por conta da redução dos acumulados de chuva.

Em mensagem publicada nas redes sociais, o prefeito afirmou que a madrugada no Rio contou com muitas ocorrências e a tendência é o dia seja de chuva.

"A gente teve uma noite de ontem e uma madrugada bastante complexa. O pessoal da prefeitura atuou. A gente não tem nenhuma situação em grande via mais crítica. Mas você tem algumas áreas da cidade, principalmente na Zona Oeste mais litorânea, a região das vargens, Guaratiba, partes da Zona Oeste mais próximas do mar, você tem ainda situações de alagamentos. Jacarepaguá também tem situações complexas. Na Grande Tijuca, a situação já baixou, o Rio Maracanã", afirmou Eduardo Paes.

Temporal no Rio de Janeiro (Foto: reprodução)Temporal no Rio de Janeiro (Foto: reprodução)

O prefeito voltou a pedir que a população evite deslocamentos desnecessários. "A tendência é que a gente ainda tenha chuva hoje, a princípio mais fraca para moderada. Então o meu pedido para vocês é que fiquem atentos, se puder evitar deslocamentos desnecessários a gente agradece para que a gente possa arrumar a cidade ao longo do dia", disse Paes.

Segundo o Alerta Rio, até as 18h50 a chuva acumulada foi de 70 a 90mm no Jardim Botânico, na Tijuca, no Alto da Boa Vista, na Rocinha e em Santa Teresa. Choveu muito durante a madrugada deste sábado.

Confira os principais impactos na cidade:

Capital está em alerta, com chance de mais chuva forte nas próximas horas;

57 sirenes foram acionadas em 31 comunidades;

Chuva acumulada foi de 70 a 90mm em 5 bairros nas últimas 4 horas (até as 18h50);

Congestionamento na cidade chegava a 230 km às 18h;

Bolsões d'água e alagamentos em vários pontos da cidade.

Por causa do mau tempo, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, reforçou nesta noite o pedido feito pela manhã para que a população evite sair de casa.

"Evitem circular pela cidade. A chuva está muito intensa. Permaneçam em locais seguros. Temos muitas vias impactadas pelas chuvas. Melhor ficar protegido que engarrafado. Acompanhem o @OperacoesRio", postou Paes no Twitter. Pouco depois, Paes disse que os piscinões da Praça da Bandeira transbordaram. Os reservatórios foram criados para diminuir os alagamentos durante as chuvas fortes.

"A situação na cidade, principalmente na área litorânea e grande Tijuca é muito crítica. Para se ter uma ideia, até os piscinões da Praça da Bandeira extravasaram. O nível da Lagoa ideal para não haver transbordamento é de 0,5m e estamos com 1,10m", disse o prefeito.

Por volta das 16h, o Sistema Alerta Rio já tinha registrado chuva em 10 bairros, com maior intensidade em Guaratiba e no Itanhangá, na Zona Oeste, e Rocinha, Jardim Botânico, Laranjeiras, Catete e Gávea, na Zona Sul. Em Botafogo, a esquina das ruas Sorocaba com Voluntários da Pátria ficou alagada.