A barragem Emparedado, em Campo Maior (PI) atingiu a sua capacidade máxima, segundo informou a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), no Boletim Hidrometeorológico divulgado nesta sexta-feira (18). O reservatório Piracuruca, em Piracuruca, também está perto de atingir 100% de seu volume: nesta sexta, atingiu 96,5% de sua capacidade. 

Apesar das chuvas em praticamente todas as regiões do Piauí, os reservatórios pouco aumentaram seus volumes. Em entrevista ao meionorte.com, a gerente de Hidrometeorologia da Semar, Sônia Feitosa, explica a variação negativa no nível de alguns reservatórios.

Barragem Emparedado, em Campo Maior, chegou a sangrar | FOTO: ReproduçãoBarragem Emparedado, em Campo Maior, chegou a sangrar | FOTO: Reprodução 

"A maioria desses reservatórios estão na região que choveu pouco entre o fim de janeiro até a primeira quinzena de fevereiro. E aqueles como Piaus (São Julião) e Petrônio Portela (São Raimundo Nonato) tendem a reduzir seus volumes pois além de chover pouco na região, a demanda por água é maior para consumo humano e consumos diversos", destaca. 

Monitoramento dos níveis

A Semar monitora 27 reservatórios no Piauí e tem observado o nível de água nesse período chuvoso. "As barragens, para adquirirem boa recarga, precisam de chuva em grande volume nas cabeceiras, mas [o nível] está dentro do quadro normal. Choveu pouco nesse mês e justifica o declínio", complementou Sônia Feitosa. 

De acordo com a gerente, os níveis das barragens de Algodões II (no município de Curimatá) e Bezerro (José de Freitas) tem aumentado nos últimos dias. As barragens de Mesa de Pedra, em Valença, assim como Emparedado (Campo Maior) chegaram a sangrar.

"Só não está aumentando em alguns reservatórios onde está chovendo pouco, no semiárido e que há uma demanda grande por água, tais como Piaus, Petrônio Portela, Bocaina. Mas em suma, a grande maioria deles está aumentando o nível", informou.