Com 116 anos, idoso pode ser um dos homens mais velhos do Brasil

Idoso afirma ter nascido em 01 de Julho de 1901

Ele afirma ter nascido em 01 de Julho de 1901. São portanto 116 anos de idade. Esse é o senhor Antônio Ferreira Dias, que mora na localidade Carolina, aproximadamente 10km do centro de Oeiras, e que confirmando sua idade, torna-se um dos mais velhos do Brasil.


O sr. Antônio Dias vive com a esposa e uma família de amigos que cuidam dele de forma carinhosa. Nascido em Crateús, Ceará, ainda adolescente saiu de casa para trabalhar. Ele conta que, com exceção de São Paulo, percorreu os demais estados do Brasil. "Passei por todo o Brasil, mas São Paulo só sei onde é a estrada. Nunca tive, nem tenho vontade de ir lá", conta.

Após percorrer todo o Brasil, sempre trabalhando, chegou a região de Oeiras em 7 de setembro de 1990, indo morar inicialmente no povoado Ladeira, zona rural de São João da Varjota. Casou, teve quatro filhos, e depois passou a morar na localidade Carolina, zona rural de Oeiras.

Dono de uma incrível vitalidade e memória ativa, ele conta não saber o segredo da longevidade, mas que sempre buscar o lado bom da vida, e não fumar e nem beber são fatores relevantes. "Hoje eu masco um fumo, por que sempre gostei de caminhar muito, e como aqui não me deixam sair por aí, mato essa vontade mascando um fumo", diz.

Sr. Antônio passa os dias observando as atividades desempenhadas pelos demais familiares, e faz apenas pequenos serviços, como debulhar feijão e algo que não demande esforços, apesar de afirmar ter uma ?saúde de ferro?. "Não tenho nenhum problema de saúde, nunca senti uma dor sequer, nem precisei ir ao médico e não conheço um hospital. A única coisa que mudou é a vista, pois tenho dificuldades para enxergar".

Questionado sobre o que sente saudades, Sr. Antônio diz que a sua juventude lhe traz muitas saudades, pois era muito namorador e também das suas andanças. Católico, afirma que as coisas mais lindas que viu pelo Brasil foram as igrejas dos lugares por onde passou.

Das suas andanças, cita uma passagem por Teresina, onde encantado com a ponte metálica, se distraiu e caiu da mesma, citando ainda o estado do Amazonas e outros do norte do País. 

Sobre as mudanças que percebeu no mundo, disse que quase não sai de casa, mas que percebe que tudo ficou mais perigoso e que as pessoas estão mais distantes. "Quase não saio daqui, mas se deixarem, eu ando todas essas paragens. Ainda tenho muita força. Mas entendo que não dá pra sair por aí, o mundo tá muito mudado, as pessoas mudaram muito", analisa Sr. Antônio.

Em relação a Oeiras, ele afirma ter encontrado o melhor lugar pra viver. "Aqui eu aquietei. É o melhor lugar pra viver. No Ceará eu só vou mesmo em sonho, como na semana passada que sonhei com Crateús. Enquanto viver, meu lugar é aqui", finaliza com um sorriso no rosto.

*Com informações do Portal Mural da Vila e Colaboração de Tom Cabeleireiro

Fonte: Mural da Vila