Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Comando diz que policiais investigados estão afastados das ruas no MA

Em apenas três dias, ao menos três casos envolvendo PMs estão sendo investigados no MA. Coronel diz que os militares ficam em funções administrativas até que tudo seja esclarecido.

Compartilhe

O Comando da Polícia Militar no Maranhão afirmou nesta quarta (29) que policiais investigados por supostos crimes são afastados das ruas, mas que é essencial que haja uma apuração de cada fato. O comandante da PM no Maranhão, Coronel Ismael Fonseca, explicou ainda que é preciso seguir as leis. Cada militar investigado é afastado das ruas, mas não pode, a princípio, ser afastado totalmente de suas funções na polícia. As informações são do G1.

"Primeiro tem que se inteirar dos fatos. Todos os agentes a gente afasta e coloca em atividades administrativas. O policial, assim como o servidor, ele só recebe o dinheiro se trabalhar. Então ele precisa produzir alguma coisa. O que não pode fazer é deixar ele em casa, sem fazer nada, porque eles estariam lesando o erário público. Enquanto isso, eles também estarão respondendo o processo deles", afirmou o coronel.

Casos sendo investigados

Em apenas três dias, três casos envolvendo policiais militares estão sendo investigados por indícios de crime. No sábado (25), o PM Carlos Eduardo foi preso após matar Bruna Lícia e José Willian no Condomínio Pacífico I, em São Luís. Carlos vivia em união estável com Bruna e teria flagrado uma traição. Após o caso, o policial foi levado a um presídio militar.

Após a repercussão do caso, o soldado Tiago de Jesus, que também é assistente social do Núcleo de Saúde da Polícia Militar, usou uma rede social para defender o homicídio e chega a xingar a vítima assassinada.

Já na segunda (27), em outro caso, o jovem de 20 anos, Marcos Matheus Andrade de Melo, foi morto após ser baleado durante uma operação policial no bairro Jardim São Cristóvão. As primeiras informações não apontam indícios de que Marcos tinha ligação com a operação.

Familiares dizem ainda que Marcos chegou a suspender os braços, disse que não era criminoso, mas ainda assim foi alvejado na porta da residência onde vivia por um tiro de fuzil.

De acordo com o Coronel Ismael, cada caso está sendo apurado e os militares serão responsabilizados, , caso haja comprovação dos crimes.

"Se ele está de folga vai responder o que? Civilmente. Agora se ele está de serviço e entra numa ocorrência, aí eu baixo um inquérito policial militar, que vai apurar. Todos os casos estão sendo apurados", afirmou.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar