Concessão deve priorizar atratividade do Parque Zoobotânico

Parque será modernizado e passar por uma readequação ambiental

Representantes da Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hidrícos (Semar) reuniram-se, nessa quarta-feira (10), para definir o plano de trabalho para início do estudo do projeto de concessão para o Parque Zoobotânico de Teresina.

Nessa primeira etapa, os entes públicos envolvidos começam a elencar as informações que serão bases para estruturação dos estudos  jurídicos e financeiros do projeto. Esse é um projeto que visa a modernização do equipamento público para que a iniciativa privada readeque e modernize o parque.

Parque será modernizado e passar por uma readequação ambiental  (Crédito: Reprodução)
Parque será modernizado e passar por uma readequação ambiental (Crédito: Reprodução)

Até fevereiro, a premissa jurídica e financeira deve estar pronta. Nesse projeto, é função da Semar dar as premissas do que é fundamental para o funcionamento do Parque Zoobotânico. Além disso, a Secretaria do Meio Ambiente também deve dar as especificações do equipamento público, uma vez que esta é a secretaria que administra o parque.

De acordo com o superintendente de Recursos Hídricos da Semar, Romildo Mafra, a PPP trata da melhoria de um equipamento público muito importante para a capital.

“A Semar tem as expectativas mais positivas para que sejam realizadas melhorias na qualidade do Zoobotânico, principalmente porque a parceria público-privada encurta caminhos para essas melhorias”, declarou Mafra.

Nesta fase dos estudos, a secretaria atuará fazendo levantamento da demanda, custo de manutenção, controle de número de visitantes, bem como outras informações do parque. Essas informações servem para estabelecer o referencial técnico para a construção dos estudos para a concessão, bem como orçar os investimentos.

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com