CRM-PI encontra graves deficiências no hospital de São Raimundo

As maiores deficiências foram encontradas na estrutura física

O Conselho Regional de Medicina do Piauí – CRM-PI esteve no último final de semana no município de São Raimundo Nonato, a 524 km de Teresina, para uma série de vistorias na rede pública e privada de Saúde. Embora se esperasse uma boa estrutura física e de equipamentos no Hospital Regional Senador José Cândido Ferraz (HRSJCF), algumas deficiências graves foram registradas pelos conselheiros e pelos técnicos do setor de fiscalização. O hospital deveria contar com boa estrutura, uma vez que atende vários municípios do Piauí e até municípios da Bahia.



A grande deficiência apontada pelo CRM-PI foi justamente a estrutura física, uma vez que o hospital foi fundado nos anos de 1970 e nunca passou por reforma. O diretor geral do HRSJCF, Rogério Araújo de Castro, informou que ainda para este ano está prevista a reforma das instalações físicas, com recursos do Governo do Estado. Como no final de semana inteiro a região sofreu com as fortes chuvas, os fiscais do CRM-PI flagraram várias infiltrações em enfermarias e outras dependências do hospital, tendo que pacientes terem que desocupar leitos devido às goteiras. Outra situação encontrada é a falta de alguns medicamentos essenciais, falta de laboratório disponível que é essencial para as equipes médicas atenderem com eficiência pacientes graves, sem a necessidade de ter que utilizar a Central de Regulação para efetivar transferências para Teresina, falta de lençóis nas macas, além de faltar equipamentos para estabilizar pacientes graves, como bomba de infusão contínua, utilizada para medicação intravenosa.

Apesar das deficiências que não deveriam existir em um hospital regional, o CRM-PI constatou que a escala médica é satisfatória, tendo o hospital uma média de cinco a seis médicos plantonistas e dois na escala noturna, sendo um clínico geral e um obstetra. No entanto, o hospital sofre, algumas vezes, com a falta de anestesistas e de pediatras. Apesar das deficiências, o HRSJCF conta com o suporta da Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas – a UPA, que tem menos de três meses de inaugurada pelo Governo do Estado. Outro suporte importante para a saúde da região de São Raimundo Nonato será o Centro de Parto Normal (CPN), que passará a funcionar em breve, faltando apenas a instalação de equipamentos. A presidente do CRM-PI, Drª Mírian Palha Dias Parente, e outros conselheiros e técnicos visitaram tanto a UPA, quanto o CPN e ficaram satisfeitos com a estrutura. “De todas essas unidades que já visitamos em várias regiões do Piauí, essa realmente é que encontramos melhor estrutura, sabemos que foi inaugurada recentemente e esperamos que a mesma seja mantida. No caso da estrutura e condições de atendimento do Hospital Regional, solicitaremos uma reunião com o Secretário Estadual de Saúde, Francisco Costa, no sentido de que sejam tomadas as devidas providências quanto aos problemas encontrados lá, os quais serão descritos em relatório técnico”, explicou.


Os médicos que trabalham em São Raimundo Nonato participaram de uma Ouvidoria, na sede da UPA 24 Horas com conselheiros e a Assessoria Jurídica do CRM-PI, os quais deram sugestões, explanaram as condições de dificuldade em que são obrigados a trabalhar, sem estrutura e sem condições de atender pacientes de média e alta complexidade e solicitaram apoio do CRM-PI, pois o trabalho médico é executado sob tensão e insegurança. A presidente do CRM-PI propôs a participação dessa pauta os médicos da região para a próxima reunião do Fórum Interestadual Permanente de Saúde, com a presença de representantes do Governo do Estado, Ministério Publico, Tribunal de Justiça e outras instituições, que são membros efetivo do mesmo, para buscarem uma solução a curto e longo prazo. Até ameaças os médicos enfrentam no dia a dia do ofício, por não terem as condições necessárias para o pleno atendimento à população.


Fonte: Portal MN