De datilógrafo a fiscal de café: veja os cargos que serão extintos

Governo federal vai cortar 60 mil cargos efetivos que estão vagos

O Governo Federal vai eliminar 60 mil cargos efetivos que estão atualmente vagos para reduzir os gastos públicos. A medida veio junto com o anúncio da elevação do teto para o rombo das contas públicas em 2017 e 2018, para R$ 159 bilhões.

De acordo com o Ministério do Planejamento, entre os cargos que serão cortados estão datilógrafo, radiotelegrafista, classificador de cacau, motorista e fiscal tributário de café. A medida ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. De acordo com o Planejamento, os cargos que serão extintos estão em fase final de mapeamento.

"Deverão ser priorizados aqueles que deixaram de ser necessários na administração pública, tendo em vista as novas tecnologias e as mudanças no mundo do trabalho. A intenção com essa medida é evitar, no futuro, a ampliação de despesas decorrente da ocupação desses cargos", informou o ministério.

Datilógrafo é um dos cargos que serão cortados pelo governo (Crédito: Reprodução)
Datilógrafo é um dos cargos que serão cortados pelo governo (Crédito: Reprodução)

Segundo o governo, os cargos extintos estão "obsoletos ou desalinhados com a atual estrutura organizativa".

O Ministério do Planejamento diz que a medida "evita aumento de despesa futura". De acordo com o líder do governo no Senado, Romero Jucá, a economia com a extinção desses cargos deverá ser entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão.

Veja alguns cargos que serão cortados:

Datilógrafo, radiotelegrafista, perfurador digitador, operador de computadorMotivo do corte: falta de correspondência com a realidade do trabalho contemporâneo.

Motorista oficial, técnico de secretariado, agente de vigilância.Motivo do corte: mudança na modalidade de execução de determinadas atividades que passaram a ser realizadas por meio de contratação indireta de serviços (terceirização), visto que são acessórias às funções típicas da administração pública.

Cargo de médico no grupo “Gestão”, técnico de nutrição e de técnico de colonização no Ministério do Meio Ambiente/Ibama. Motivo do corte: distorções relativas ao enquadramento de cargos em planos e carreiras específicas devido, principalmente, à movimentação de servidores entre quadros de pessoal diversos.

Agente de inspeção de pesca, classificador de cacau, fiscal tributário do café, fiscal tributário do açúcar e do álcoolMotivo do corte: reorganização administrativa ou mudança do papel do Estado.




Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com