Defesa Civil e outros órgãos se unem no combate aos incêndios

A principal medida preventiva continua sendo o de evitar queimadas

Órgãos públicos do Governo do Estado do Piauí somaram forças a instituições federais e municipais no combate aos focos de incêndios que se espalham no território da Grande Teresina. Em reunião nesta quinta-feira (13) para enfrentamento ao fogo, o comando do Corpo de Bombeiros ganhou o reforço importante da Secretaria de Defesa Civil Estadual e municipal de Teresina e da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente, além da contribuição do Ministério Público Estadual, da Polícia Militar e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

A reunião tratou da definição de estratégias de combate e da comunicação dos acontecimentos, reforçando as medidas preventivas como solicitação junto à população do não uso da técnica de queimadas em terrenos baldios. “Na logística, a Secretaria de Defesa Civil vai viabilizar carros-pipa para que tenhamos suporte de abastecimento das nossas viaturas”, explicou o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Piauí, coronel Carlos Frederico.

O Corpo de Bombeiros está com todo o seu efetivo destacado para as ações de enfrentamento aos focos das chamas. São cerca de 60 profissionais da corporação em diligências em zonas rurais e urbanas de Teresina. “O combate a incêndios em vegetação exige capacitação. Se formos empregar o pessoal do Exército, por exemplo, isso exige um treinamento específico. Mas eles dão um apoio muito importante no carro de abastecimento, e ao ceder veículos e parte das suas estruturas de apoio, como o trator de esteira. São equipamentos de apoio que podem auxiliar na nossa atividade”, destacou o relações públicas do Corpo de Bombeiros, Major Veloso.

O período de baixa umidade somado à vegetação seca fazem dos terrenos baldios e matas nativas verdadeiros campos de propagação das chamas. Somado a esses fatores, segundo o comando do Corpo de Bombeiros, o uso da técnica de queimada para a limpeza de terrenos é um dos principais causadores dos focos de incêndio.

“Estamos tendo uma situação histórica, essa situação de diversos incêndios em vegetação é atípica. Incêndios em vegetações na mata têm um perfil bem diverso porque o bombeiro não faz o combate ao incêndio. O fogo se expande de forma radial e o perímetro vai crescendo ao redor do foco inicial das chamas. As frentes dos incêndios têm de um a cinco quilômetros de extinção. É uma situação bem diferente em relação ao combate ao incêndio típico. O que é feito é justamente a preservação do patrimônio que está em risco. Se esse incêndio avança na direção de uma comunidade, as equipes fazem todo o procedimento para a proteção daquele perímetro”, informou o major Veloso.

Ocorrências também estão sendo registradas em terrenos em outras cidades do Sul do estado. “Nós estamos tendo alguns focos registrados pelos satélites no sul do estado. São regiões de situação agrícola que se utilizam dessa técnica para limpar terrenos”, alertou o major.

Sensível ao momento delicado por qual passa o estado, em especial Teresina, com onda de queimadas que aflige a capital, o governador Wellington Dias liberou, nesta quinta-feira (13), recursos para a compra do horário de folga dos bombeiros para reforçar o trabalho de combate a incêndios em todo o território piauiense.

A aquisição de novos equipamentos e expansão de batalhões por cidades polos do estado, como Floriano, Picos Teresina, e Parnaíba, permitem aos bombeiros um maior poder de reação frente aos incêndios. “Estamos liberando mais recursos para o combate a esses incêndios. Desde 2015, nós trabalhamos na expansão dos batalhões, adquirindo equipamentos, além de ampliar o trabalho com bombeiros voluntários, dispondo de equipamentos para que a sociedade civil possa ajudar. Isso tem permitido bons resultados. Parabéns a toda a equipe dos bombeiros que estão se empenhando nesse trabalho”, destaca o governador.

Fonte: Com informações do Portal do Governo
logomarca do portal meionorte..com