'Desespero e choro', diz mãe de travesti assassinada em Fortaleza

Dandara dos Santos, de 42 anos, foi agredida até a morte.

Francisca Ferreira, mãe da travesti Dandara dos Santos, de 42 anos, que foi agredida até a morte no bairro Bom Jardim, em Fortaleza, no Ceará,de 42 anos, no último dia 15 de fevereiro, vive momentos de muita angústia. Um vídeo do crime foi gravado e mostra a travesti sendo agredida com murros, pedradas e pauladas.

"Fiquei muito desesperada. Chorando e perguntado para Deus o que tinha acontecido. O que foi que esse menino fez meu Deus? Fiquei assim feito uma maluca sem saber acreditar. Se houve briga ou não”, desabafou, muito emocionada. 

Sônia Maria, irmã da vítima, conta que Dandara era muito querida no Bairro Conjunto Ceará, onde morava. “Ela nunca dizia um não. Ela podia estar cansada, mas era sempre prestativa. Para onde a gente pedia para ela ir, ela ia. Ela nunca dizia um não. Sobre os preconceitos, ela foi para o Bairro Jurema e uns cara bateram nela. Ela foi até para o hospital”, lembrou.

Os quatro adolescentes suspeitos de matar Dandara dos Santos foram apreendidos, informou a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado. Os menores foram encaminhados para um socioeducativo, onde ficarão internados provisoriamente por até 45 dias.

"Atos como desses covardes e vagabundos não são admitidos por nenhum cidadão de bem nem pela polícia. Precisamos de mais educação e orientação às pessoas, que aprendam a respeitar o próximo. A intolerância só gera consequências ruins. O povo cearense merece essa resposta e uma política de proteção às minorias", disse o secretário da Segurança e Defesa Social do Ceará (SSPDS), André Costa. 

Francisca Ferreira, mãe da travesti Dandara dos Santos
Francisca Ferreira, mãe da travesti Dandara dos Santos




Fonte: Com informações do G1-CE