O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) protocolou nesta terça-feira (20) na Mesa Diretora do Senado o pedido de afastamento do mandato por 90 dias após ser flagrado pela Polícia Federal com R$ 33 mil escondidos na cueca. O suplente do senador, que é seu filho, não assumirá o mandato pois o afastamento é inferior a 120 dias. 

A avaliação de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) é que a licença de 90 dias pode não impedir a Corte de julgar nesta quarta-feira (21) a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, que determinou o afastamento do parlamentar.

LEIA MAIS:

- "Dinheiro na cueca": Barroso determina afastamento de Chico Rodrigues

Governo exonera vice-líder flagrado com dinheiro na cueca

'Dinheiro na cueca': Leo Índio é funcionário do escritório de senador

Após a operação da semana passada, partidos políticos protocolaram uma representação no Conselho de Ética no Senado com o objetivo de cassar o mandato de Chico Rodrigues.

Rodrigues negou as acusações e garantiu que o dinheiro serviria para pagar funcionários.  "Num ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo."

Senador Chico Rodrigues foi flagrado com dinheiro na cueca Senador Chico Rodrigues foi flagrado com dinheiro na cueca