Dupla é presa após espancar trio e agredir mulher com cadeira em SP

Investigação da polícia identificou suspeitos

Dois rapazes foram presos por ordem da Justiça por tentarem matar três jovens em quiosque localizada na orla de Santos, no litoral de São Paulo. Eles foram identificados e localizados após investigação da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Outros dois homens, que estavam com os agressores, são investigados.

As imagens da câmera de monitoramento do quiosque, localizado no Canal 4, na praia do Embaré, mostram parte da confusão generalizada. Os quatro homens, que são lutadores de artes marciais e estavam em uma mesa, provocam, segundo a polícia, o trio, que não os conhecia e estava sentado nas proximidades.

As vítimas são uma estudante de 19 anos, que ficou com diversas lesões pelo corpo e perdeu a consciência ao ser atingida por uma cadeira, e o namorado dela, um universitário de 22 anos, que ficou com um coágulo no cérebro. A prima da jovem, uma estudante de 18 anos, também ficou gravemente ferida na ocasião.


"Esses rapazes provocaram as pessoas de outras mesas, exatamente para causar uma briga e uma confusão. Nesse caso específico, eles agrediram de uma forma bastante violenta e covarde as vítimas", afirmou a delegada titular da DDM de Santos, Fernanda dos Santos Souza, também responsável pelas investigações.

Na ocasião, Vitor Hugo dos Santos, de 26 anos, e Álvaro da Silva Neto, de 34, no entendimento da polícia, tentaram matar os jovens. "Eles começaram a provocar a moça, que estava com o namorado e foi isso que resultou uma indignação dele. Até que eles jogaram um copo na mesa das vítimas", conta Fernanda.

Para a delegada, não há dúvida do crime. "O vídeo que foi feito pelas câmeras do quiosque mostram a covardia, agressividade e brutalidade ao atirar uma cadeira [contra a menina]. Havia o dolo eventual. Então, a gente viu que os agressores assumiram realmente o risco de matar as vítimas", disse a delegada.


O casal de namorados ficou internado para se recuperar das lesões nas semanas que sucederam o ocorrido, no início de setembro. A vítima mais jovem foi liberada logo em seguida depois que os três foram socorridos às pressas por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


Os agressores fugiram na ocasião. Dois deles foram identificados após investigação da DDM, que representou na Justiça pela prisão temporária, válida por 30, de dois deles. "Descobrimos que esse grupo saia para agredir. A ideia foi prevenir eventualmente a ação desse grupo nas ruas em outros casos".

Com a prisão dos dois, ocorrida na quinta-feira (21), a polícia conseguiu identificar os outros dois. "Dando positivo o reconhecimento, vamos representar pela mesma prisão temporária contra ambos. Em uma época de festas de fim de ano, é importante que situações como essa não se repitam", afirmou a delegada.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com